1 ano do Deca; o que mudou de lá pra cá?

1 ano do Deca; o que mudou de lá pra cá?

Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

25 de novembro de 2018.

Há exatamente um ano o Palmeiras de Luiz Felipe Scolari derrotava o Vasco em São Januário e faturava o seu 10° título brasileiro. O primeiro da histórica e gloriosa carreira de Felipão no clube.

Atual campeão e mantendo praticamente todo o elenco, 2019 parecia que seria mais um ano de glórias para o Palmeiras. Porém antes de completarmos o primeiro ano do Deca, o clube viu o Flamengo conquistar o Brasileirão com quatro rodadas de antecedência.

O erro de planejamento da diretoria alviverde começou exatamente no dia do título do Verdão no ano passado. A conquista da taça fez com que todos achassem que o time estava pronto para a próxima temporada.

A gratidão por diversos atletas responsáveis pelo título brasileiro, resultou na renovação de contrato de alguns jogadores que não possuíam mais condições de seguir no clube. Diretoria e comissão técnica também não se esforçaram para se livrar de alguns atletas que claramente não iriam suportar esta temporada.

O título também mascarou uma grande deficiência do forte elenco palmeirense: o ataque dos milhões. O grande semestre de Deyverson e os 19 gols de Miguel Borja no ano fizeram com que Felipão achasse que estava ótimo permanecer com os dois.

Ter sido o melhor time do Brasil em 2018, iludiu a diretoria que não entendeu que por mais importante que alguns jogadores tivessem sido na temporada, uma boa proposta não poderia ter sido recusada, como foi no caso de Deyverson.

O Verdão vai encerrar 2019 com todos seus atacantes não conseguindo somar 20 gols no ano. Uma vergonha se comparado ao Flamengo de Jorge Jesus.

O empréstimo de Artur ao Bahia também foi algo que não deu pra entender. Principalmente porque o clube preferiu investir em Carlos Eduardo e Felipe Pires para a sua posição.

O desgaste de Felipão com a diretoria chegou no seu limite e no início de setembro, o ídolo da torcida e maior técnico da história da SEP foi desligado do clube. Mais um ano em que o Palmeiras não conseguiu ficar com apenas um técnico durante toda a temporada.

Mano Menezes chegou. E apesar da alta rejeição da torcida, até que fez um bom início de trabalho. Porém os 70% de aproveitamento estão escondendo o baixo rendimento do Verdão neste semestre. A campanha que era tão exaltada já é pior do que a do ano passado.

Alexandre Mattos bancou Mano em 2020. E até acho que agora é o mais certo a se fazer. O erro foi tê-lo trazido. Agora que Mano está se habituando ao clube e também participando de todo planejamento para o próximo ano, mandá-lo embora dificultaria ainda mais as coisas.

Não é possível que o problema mais uma vez seja somente o treinador. Até quando vão sempre colocar as cabeças dos técnicos a prêmio?

O elenco do Palmeiras precisa de renovação, urgente. Talvez a juventude dos garotos da base possa trazer o oxigênio que o time precisa para 2020. Está mais do que claro que o ciclo de muitos se encerrou.

O próximo ano reserva um desafio ainda maior. Uma vez que o Flamengo deve reforçar ainda mais o seu estrelado elenco.

Na mira da torcida, Alexandre Mattos não pode mais brincar de 'investimentos'. É preciso agressividade, responsabilidade e precisão para não cometer mais equívocos no mercado.

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!