(Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras)

2018 começou no Palmeiras e o diretor de futebol Alexandre Mattos, atendeu a imprensa na tarde desta quarta-feira (3), na Academia de Futebol, dia de reapresentação do elenco para a temporada. Com algumas novidades no elenco, Mattos comentou sobre a negociação com Gustavo Scarpa, a situação de Mina, e as contratações de Lucas Lima e Weverton.

O NOSSO PALESTRA separou algumas partes importantes da coletiva.

“O Palmeiras vem se fortalecendo cada vez mais, com sua estrutura também. Melhoramos agora a área dos vestiários. Na questão técnica, tudo planejado. Em 2015, o Palmeiras precisou reformular radicalmente seu elenco. Não só elenco como todo o departamento de futebol, em modernidade, funcionários, categoria de base. Obviamente que, contratando muito, temos que ajustar muito, o que foi feito em 2016 e 2017. Agora, sim, tudo planejado, Palmeiras buscou reforços pontualmente. Daqui a pouco, o Palmeiras não precisa nem ir ao mercado, vai ter em sua base um fornecedor como nunca teve. O Palmeiras nunca foi protagonista na questão categoria de base”, disse o diretor.

ROGER MACHADO

“O Roger, vale lembrar, era primeira opção no final de 2016. Liguei para ele, e ele disse que estava chegando em Belo Horizonte para acertar com o Atlético-MG. Se não acertar, te ligo. Temos muita convicção no trabalho. Já tenho 13 anos no futebol, já participei de vários grupos vencedores. Acredito numa coisa: ambiente e equipe de trabalho. São fundamentais para que se consiga alcançar objetivos grandes, que é o que um clube do tamanho do Palmeiras pensa sempre. Temos muita convicção de que o Roger vai fazer um excelente trabalho. Nesses dias mais próximos dele, percebi todo o preparo que ele buscou na carreira.”

GUSTAVO SCARPA

“Palmeiras fez de tudo, mas não foi possível, e a gente deu por encerrado. Fora disso, nenhuma novidade, nenhum contato por Scarpa.”

WEVERTON

“Optamos pelo Weverton, que é campeão olímpico, sendo decisivo nos pênaltis. É goleiro que tem seis anos disputando Série A em altíssimo nível. Disputou ‘n’ Libertadores. Idade madura. Obviamente quem vai jogar cabe ao Oscar, preparador de goleiros, e ao Roger Machado. “Não tem relação nenhuma com jogador emprestado ao Atlético-PR com o negócio do Weverton. O Palmeiras fez a opção de contar com o seu elenco completamente aqui. Se é caro ou barato, o que o Weverton jogar é que vai valer. ”

YERRY MINA

“Temos situação do Mina, é verdade que o Barcelona veio atrás, estão oferecendo mais um recurso financeiro, mas é verdade que Palmeiras não tem interesse. Os estrangeiros estão liberados da reapresentação. Vamos esperar o Mina chegar, conversar.”

LUCAS LIMA

“Colocou a camisa, o manto, vai jogar. Torcida vai abraçar, vai cobrar se precisar, mas vai abraçar. Tenho convicção. Ele sabe da responsabilidade. Não é fácil trocar por um rival. Ele fez de tudo para jogar no Palmeiras. Ele comprou a ideia, estive pessoalmente com ele, por telefone, com pai dele. Se não fosse do desejo dele, ele não estaria aqui. Se dependesse da maior parte do estafe, provavelmente estaria fora do Brasil. Tem ambições de títulos, de Seleção. É jogador especial, que tem poucos nessa posição no futebol brasileiro e até mundial. Tem capacidade técnica muito importante. Foi no trabalho. Aí a importância do executivo. Você tem que ir lá e vender sonho, de que é melhor Palmeiras do que Milan, China, isso ou aquilo. Tem milhões de pessoas para opinarem.”

Comente

comentários