Alexandre Mattos

Alexandre Mattos

Mattos, você é ótimo profissional. Não apenas para contratar - até demais. Não apenas para negociar - até demais. Não apenas para gerar recursos - até demais. Não apenas para conter os ânimos acirrados - até demais.

Você sabe fechar negócios que outros nem abririam. Mas você está fechando portas e portais místicos que não se tocam. Muito menos se trocam. Ou se vendem para a Ucrânia.

Não é só decisão sua não convidar Marcos e Alex 20 anos depois da conquista da Libertadores para a festa de 105 anos. O presidente poderia e deveria intervir. Nesse e em outros convites. Ou esquecimentos.

Mas não são apenas os campeões de 1999 (e não só 1999) como Velloso que estão pistola como eu nunca vi. Outros craques e ídolos de todos os tempos estão sentindo o mesmo que muita gente que é Palmeiras o tempo todo.

Quando se dá as costas, mal se dá a mão, e não se abre a porta ou não se dá bola pra quem jogou tanta bola acaba sendo pior que gastar o que se torrou com Carlos Eduardo. Claro que o esforçado atacante não tem culpa e espero queimar minha língua como se queima dinheiro com eventual melhora no desempenho dele.

O seu saldo, Alexandre, é bastante positivo. Trouxe e manteve ídolos desde 2015 como Dudu que não foi barato. Mas vale cada centavo. Como não tem preço o valor de gente que veio barato e nos é muito cara como Moisés, Vítor Hugo e Keno.

Jogadores que valeram o investimento (grande ou não, por muito tempo ou não) como Willian, Zé Roberto, Edu Dracena, Scarpa, Mina, Gómez, Bruno Henrique, Wéverton, Felipe Melo, Thiago Santos, Rafael Marques, Robinho, Zé Rafael, Hyoran, Tchê Tchê, Róger Guedes, Luan e Jean.

Claro que Amaral, João Paulo, Ryder Mattos, Rodrigo, Juninho, Leandro Almeida, Nico Freire, Emerson Santos e Erik foram caros. Ou já se imaginavam que seriam.

Acontece. Não se acerta sempre. Ou as coisas dão errado mesmo fazendo o certo. Como a saída prematura de Ricardo Goulart. As lesões de Guerra e Fellype Gabriel. As ausências de Lucas Lima.

Faltou usar mais Fernando, Luan Cândido e Vitão que saíram do clube antes de chegar. Mas é do jogo e da nossa economia. E da falta de escalação pelo treinador de plantão.

Barrios e Borja valiam na época as apostas que saíram caríssimas. Como não aproveitar mais Artur. Como pouco usar Artur Cabral. Como ainda nem pensar em usar Angulo.

Mas aí não é só decisão sua, Alexandre. É do seu treinador. Ou dos muitos que você contratou e foram demitidos pelos presidentes. Ou, como agora, dos que também foram demitidos mais por sua causa do que pela ideia do presidente. Você fez o certo ao manter Dudu e Bruno Henrique e a base campeã de 2018 com os reservas vencedores.

Ainda quero o ver dirigindo o futebol do Palmeiras.

Mas quero ver você dirigindo mais a palavra a quem tem história no clube. Quero ver digerindo melhor as críticas. Quero ver você gerindo as crises como sabe e como pode.

E espero de coração que você e Mano se entendam muito bem.

Fica a torcida. Não a confiança.

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.