Amarcord: Fluminense 0 x 1 Palmeiras, Taça Brasil-1960

Amarcord: Fluminense 0 x 1 Palmeiras, Taça Brasil-1960

No segundo torneio nacional, o campeão de São Paulo entrava direto na fase semifinal da Taça Brasil, torneio que dava ao campeão o direito de disputar a Libertadores que havia sido criada naquele mesmo 1960. Fluminense (campeão do Rio de 1959) e Palmeiras ("supercampeão estadual de 1959) jogaram no Pacaembu a primeira partida das semifinais: empate sem gols.
Uma semana depois, quarta-feira à noite no Maracanã, o jogo também foi equilibrado. Até o último minuto. Quando as duas equipes já se preparavam para o jogo-extra, 48 horas depois, também no Rio.
O Palmeiras de Oswaldo Brandão não vivia grande fase. Estava em terceiro no SP-60. O Fluminense, sem o histórico artilheiro Valdo, também não. Também pela filosofia de jogo do treinador Zezé Moreira, que privilegiava o contragolpe. O goleiro Valdir mal trabalhou em 90 minutos no Rio, diferentemente de Castilho, que fez pelo menos seis boas defesas. Menos no último minuto, quando Chinesinho (o maior em campo) roubou a bola de Edmilson, passou por três derivando da esquerda para a direita, e encontrou Humberto Tozzi aberto pela direita, ele que viera da Itália, mas não estava bem tecnicamente. Ainda assim, grande artilheiro que era, ajeitou a bola e bateu sem chances para o mítico Castilho. Mérito também de Brandão, que trocara as funções dele com Julinho Botelho (para o técnico, o melhor em campo).

Se não jogou bem, (havia atuado melhor na partida de ida, o Palmeiras foi muito melhor do que o Fluminense. Palavras de seu treinador (e do Brasil na Copa-54). Fala Zezé Moreira:

  • Perdemos a partida, mas não a oportunidade de realçar os méritos dos adversários. Eles mereceram o sucesso e torço para eles até o final da Taça Brasil. Quero também elogiar o trabalho do árbitro e de seus bandeirinhas.

Outros tempos. Até o árbitro foi elogiado. Justamente um dos mais técnicos da história, e que estreava no Maracanã com apenas 21 anos: Romualdo Arppi Filho - também um dos mais TÁTICOS de todos os tempos...

PALMEIRAS 1 X 0 FLUMINENSE
Taça Brasil 1960
Quarta-feira, 16/novembro (noite)
Maracanã
Rio de Janeiro (RJ)
Juiz: Romualdo Arppi Filho
Renda: não disponível
Público: não disponível
PALMEIRAS: Valdir; Djalma Santos, Valdemar Carabina, Aldemar e Jorge; Zequinha e Chinesinho; Julinho, Nardo, Humberto e Cruz.
Técnico: Oswaldo Brandão
Gol: Humberto 44 do 2º

Porco de Ouro: Vote na eleição que irá eleger o melhor jogador do Palmeiras nesse último ano

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.