Antipático? Apático...

Antipático? Apático...

Não lembro de o Palmeiras passar três tempos seguidos sem criar uma chance em dois jogos decisivos. Não lembro o mesmo time que ficou 33 jogos invictos não saber mais o que é ganhar, o que é jogar, o que é se superar, o que é defender, o que é atacar, o que é ser Palmeiras depois de o fazer campeão há 9 meses com o mesmo grupo.

Não lembro ter ficado tão sem palavras por um time que não é isso, dirigido por um treinador que não é esse, conduzido por uma diretoria que não é essa.

O Grêmio é monstruoso em Libertadores. O Flamengo está montando um time monstruoso. Não é o fim do mundo perder a América para o Grêmio. Perder para o Flamengo não é o fim no Maracanã.

Mas não pode o Palmeiras achar que isso faz parte do jogo não jogando nada. Não pode Felipão achar que não foi nada ter jogado nada.

O Palmeiras que foi campeão em 2018 com 14 partidas com reservas é histórico. Mas o que os titulares deixaram de fazer desde a Copa América é histérico.

Como o Palmeiras de agora, não tenho a menor ideia do que fazer para virar esse jogo. Só sei que é preciso fazer algo que o time, treinador e direção não estão conseguindo nem falar, imagine fazer.

O Palmeiras não virou antipático. O que está é apático. Pífio a ponto de dar razão até a quem não tem. Dos que torcem a favor aos que distorcem contra.

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.