Apostem no Palmeiras

Apostem no Palmeiras

Não quero fazer tutorial de torcedor. Até porque sobra nas redes antissociais. Até porque não tenho mais “moral” e não posso mais falar do Palmeiras por ter pago a aposta perdida para o Vampeta. Brincadeira que só tinha o propósito de tentar fazer o mundo menos intolerante e mais educado, mais respeitador da opinião alheia e do contraditório.

Perdi o Derby, a aposta, o “respeito” e horas respondendo à talibancada. Não posso ter a pretensão - que deploro - de tentar dar um toque pra quem aplaude renda e critica jogador no PRIMEIRO ERRO. Não tenho permissão para pedir um pouco de paciência para lembrar que mesmo que o Derby seja O Jogo pra nós e pra eles, ainda assim foi um jogo de meio de tabela. Em casa, foi mal, em casa estamos mal, foi ainda pior, perdendo gols e o clássico, ainda mais irritante.

Mas, pelo amor de Ademir da Guia (em 2009 xingado por vestir o uniforme do São Paulo em uma pelada): cobrar mais de um time (ou dois) que pode(m) mais é justo. Mas detonar mais uma vez todos é voltar às cornetas apocalípticas que nos travaram e entrevaram por anos.

Do baixo nível das que estão infelicitando o São Paulo há anos. Jogamos pro outro lado do muro da Academia o muito de errado que fazíamos e pensávamos. Não podemos receber em troca a soberba soberana que também os derrubou. Somos campeões do Brasil. Com 14 jogos com mistão. Não somos Real Madrid das Américas e nem PSG do Brasil. Nem a Academia 3.0 ou a nova Via Láctea da Parmalat com crédito ilimitado da Crefisa. Sempre somos corneteiros. Mas não soberbos. Vade retro, Vamp!

Temos potencial para ganhar ainda mais. Mas não somos obrigados. Nem podemos obrigar o elenco a isso. Nem a direção. Comissão técnica.

Isso se chama soberba. Quem acha que já ganhou já perdeu. Quem se acha se perde. Aqui não se canta vitória antes. Nem se pode perder durante.

Pode puxar a orelha do Deyverson para ver se pega no tranco. Pode até pedir pra ele puxar o carro. Pode até achar que é uma boa a volta de Valdivia (se for o de 2008, aceito). Pode pedir um futebol melhor para esse elenco e comissão técnica. Desempenho de 1993-94 nos Derbys. Ingresso menos caro. Carlos Eduardo caro demais. Mais grito no Allianz Parque. Ocupa Palestra. Desocupem a apresentação do Goulart.

Pode um monte de coisa. Debater, sobretudo. E aceitar quem pensa diferente. Quem age diferente. Quem aposta diferente. Pode me mandar pra aquele lugar. Mas o nosso lugar é com nosso time.

Só não pode bater em vez de debater. É tempo de apostar no Palmeiras. Desde 1914.

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.