Até quando a culpa vai ser somente do treinador?

Até quando a culpa vai ser somente do treinador?

Foto: Danilo M. Yoshioka

Eu não teria contratado Mano Menezes.

Pelo seu conhecido estilo de jogo. Pelo passado com o maior rival do Palmeiras. E também pela jamais vista rejeição da torcida alviverde com um treinador.

Mesmo assim, a diretoria do Palmeiras decidiu bancar a vinda de Mano.

O começo de trabalho foi animador. E por um momento Mano mostrou que poderia trazer ideias diferentes para o time do Palmeiras. Um elenco que estava acostumado com o jogo direto e pelo alto, começou a ficar com a bola mais no chão.

Porém as últimas quatro rodadas foram um verdadeiro martírio para o torcedor palmeirense. O já acomodado elenco, voltou a demonstrar suas tardes e noites de sono, e o trabalho de Mano Menezes volta a ser questionado pela torcida, dessa vez com muito mais força.

Tanto que só nesta semana, um abaixo assinado pedindo a demissão do treinador foi feito. Ontem, após a derrota para o Fluminense, a #ForaMano ficou entre os assuntos mais comentados do twitter.

Mano Menezes e Palmeiras parecem que nunca terão aquela química.

Porém, qual treinador sobreviveria a um elenco acomodado e uma diretoria omissa e sem comando?

Até quando a conta dos insucessos do Palmeiras em campo só sobrarão para o comandante do time?

Desde o início de 2017 o Palmeiras busca implementar uma filosofia de jogo e um longo trabalho, mas o que vemos é que os resultados em campo e a pressão de torcida + diretoria acaba engolindo cabeças antes mesmo do ano terminar.

Mano deve ser o próximo. Se não cair agora, dificilmente sobreviverá ao final do Paulista em caso de perda do título.

Pressionada, a diretoria deve consertar o erro de três meses atrás e demitir Mano, que também vem errando demais.

2020 não permitirá mais desaforo e más escolhas.

Mas será que a decisão de "poupar" jogadores foi somente do técnico?

Será que essa obssessão doentia e preocupação com o Flamengo não vem de cima?

Há quantas semanas ninguém dá UMA entrevista no clube?

Os treinos voltaram a ser abertos, mas o silêncio segue ensurdecedor.

O discurso pra 2020 é se livrar dos acomodados do elenco. E os acomodados de gravata? Seguem intactos?

E a falta de ambição e o distanciamento da torcida? Também é culpa do Mano?

Respostas que dificilmente vão aparecer.

Mais fácil arrebentar a corda do lado mais fraco e buscar uma nova cabeça a prêmio.

Quem será o próximo escudo descartável?

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!