Borja pode se tornar o 1° artilheiro ‘gringo’ da história do Paulistão

Borja pode se tornar o 1° artilheiro ‘gringo’ da história do Paulistão

Miguel Borja provou mais uma vez que é outro jogador em 2018. O camisa 9 palmeirense decidiu novamente um clássico e colocou o Palmeiras em vantagem frente ao Corinthians pela final do Paulistão.

Borja que marcou o seu sétimo gol na competição, está muito perto de se tornar o 1° artilheiro estrangeiro da história do Campeonato Paulista.

Na era profissional da maior competição de futebol do nosso estado, nenhum jogador conseguiu tal feito.

Herbert Boyes (inglês do São Paulo Atlhetic foi artilheiro em 1903, 1904 e 1910), Hermann Friese (alemão do Germânia foi artilheiro em 1905), Fuller (alemão do Germânia foi artilheiro em 1906), e Whatley (britânico do Mackenzie College foi artilheiro em 1913) foram os únicos estrangeiros que lideraram a artilharia por aqui.

Após Evair em 1994, o Palmeiras teve somente 3 artilheiros no Estadual. Vágner Love em 2004, Alex Mineiro em 2008 e Alan Kardec em 2014.

Com o gol aos 6 minutos do 1° tempo em Itaquera, Miguel Borja também se tornou o 13° estrangeiro a marcar gol em Derbys atuando pelo Verdão. Yerry Mina, Carazzo, Echevarrieta, Villadoniga, Gonzalez, Bovio, Ponce de Leon, Artime, Rincon,  Arce, Munoz e Valdivia completam a lista.

Aos poucos Borja vai respondendo o investimento depositado nele. O colombiano de 24 anos triplicou a sua média de gols do ano passado e está há apenas 2 gols de alcançar os 10 tentos feitos durante toda a temporada de 2017.

Borja só perde o posto de artilheiro se os corinthianos Balbuena ou Jadson marcarem pelo menos 4 gols no domingo. No Palmeiras, Willian, Dudu e Keno, com 4 gols cada, também podem alcançar Miguel. Fato que dificilmente acontecerá.

Borja assegura a cada dia a sua posição como titular absoluto do Palmeiras e também como um dos 23 jogadores da lista final da Colômbia para a Copa do Mundo da Rússia. Miguel deve ser titular mais uma vez amanhã diante do Allianza Lima pela Copa Libertadores.

Fonte: Blog do Galuppo

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!