Borja, Willian ou Cabral? 5 motivos para Deyverson ser reserva contra o Godoy Cruz

Borja, Willian ou Cabral? 5 motivos para Deyverson ser reserva contra o Godoy Cruz

Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

O Palmeiras enfrenta o Godoy Cruz nesta terça-feira (23), pelo primeiro jogo das oitavas de final da Copa Libertadores 2019.

Com a melhor campanha da primeira fase pelo segundo ano consecutivo, o Verdão inicia a fase final do torneio seguindo sua obsessão pelo bicampeonato.

A grande dúvida do time titular de Felipão para o jogo em Mendoza está no ataque alviverde. Vivendo uma péssima fase, Deyverson corre um grande risco de perder a posição nesta noite na Argentina,

Listamos cinco motivos para que o camisa 16 volte para o banco de reservas.

Confira!

Rei da América em 2016, Miguel Borja sabe jogar a competição

Dos três atacantes disponíveis em seu elenco, Scolari tem em Borja o melhor aproveitamento nesta competição. Campeão em 2016 e artilheiro em 2018, o camisa 9 tem 26 jogos e 14 gols na Liberta, resultando uma média de um gol a cada dois jogos. Borja parece ter uma mística e uma atitude diferente em jogos de Libertadores, tanto que nesta péssima temporada de 2019 (fez apenas 3 gols), seu melhor jogo foi a estreia do clube na Copa, diante do Junior em Barranquilla.

Má fase de Deyverson não passa

O atual titular do ataque alviverde vive um péssimo momento. Com 1 gol nos últimos 10 jogos, Deyverson fez a torcida perder a paciência mais uma vez, e hoje é quase uma unanimidade que mereça ir pro banco. Titular incontestável nos últimos cinco jogos do Verdão, Deyverson não balança as redes desde o dia 13 de junho. Em jogos decisivos de mata-mata ele também nunca marcou.

Porque não Arthur Cabral?

Arthur Cabral recebeu tão poucas chances no Palmeiras que fica até difícil a gente julgar o investimento do clube feito no atacante. Com apenas cinco jogos e um gol com a camisa alviverde, passou da hora do centroavante receber mais chances de Felipão

Willian

Jogar com Willian como atacante com Dudu e Zé Rafael abertos pode ser uma grande estratégia para o Palmeiras de Scolari que provavelmente jogará na sua maneira reativa que já lhe é característica. Com o camisa 29, o Palmeiras perde a força no jogo aéreo, mas ganha mais velocidade e técnica para os contra-ataques.

Última chance para Borja?

Miguel Borja carrega o peso de jogar com 35 milhões de reais nas suas costas. Contratação mais cara da história do clube, o camisa 9 foi uma grande decepção para a torcida. Apesar dos bons números em 2018, a diretoria e comissão não fazem muito esforço para tentarem recuperar o jogador. Por outro lado, o clube também não demonstra muito interesse em se desfazer rapidamente do negócio e tomar um grande prejuízo. Hoje, poderia ser a grande últina chance de Borja com a camisa do Palmeiras. Ou acorda e busca novamente um espaço no time, ou desiste de vez de tentar dar certo por aqui.

Vale lembrar que no início do ano, Miguel Borja teve sua sequência de jogos interrompida pela má fase e a falta de gols, algo que não acontece com Deyverson, que repete más atuações e no Brasileirão tem até mais minutos do que Dudu em campo.

Nas oitavas de final da Libertadores do ano passado, o Palmeiras venceu a primeira partida diante do Cerro Porteño por 2 a 0, com dois gols de Borja. o resultado foi importantíssimo já que na volta o Verdão perdeu por 1 a 0 e mesmo assim ficou com a vaga para as quartas.

E pra você, torcedor palmeirense, quem deveria ser o titular do ataque do Verdão hoje em Mendoza?

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!