Frase lendária do grande Levir Culpi sobre o próprio trabalho. Sagaz, soube antecipar o ódio alheio e tirou de si os méritos que lhe cabem por óbvio bom trabalho realizado. Levir é desses caras que são brilhantes porque sabem como poucos desqualificar uma crítica gratuita, faz piada. Eu queria ter essa sorte. Pena que me sobrou só o burro.

Burro porque não vejo as coisas como sorte. Aliás, até vejo. Sorte de ter pernas pra correr atrás, sorte de ter olhos pra ver as dificuldades, sorte de ter a plena cosciência de que os bons ventos do destino só carregam que coloca a polpa do lado certo para voar. Sorte de saber que uma hora ou outra, alguém de poderes extraterrenos vai me dar uma dificuldadezinha a menos, mas sempre sabendo que ela não basta. É preciso ser burro.

Burro arrasta o problema, carrega no lombo o peso que for necessário, sobrevive no árido, no seco ou na boa, o burro tem orelhas enormes pra ser sábio e ouvir tudo e só depois, fazer. Trinta, quarenta anos de vida média, um dos mais poderosos animais do planeta. Tem no sangue a história de luta, de insistir, de batalhar por tudo. Sempre sonhando com um tiquinho de sorte.

Quem batalha, tem.

O pior dos azeres é ter seu mérito colocado na conta da coitada da sorte. Ela não tem esse poder todo, não. Pra tê-la, é preciso ser asno, mula, burro, jumento. É preciso ralar pra BURRO. É encarar os desafios que se acumulam nessa lida diária em que trabalhar bem não basta, é preciso parecer bom, bonito. Moderno. A vigília não é mais exclusividade dos santos e anjos defendidos. Ela chegou na sorte.

Ela não quer dormir, não quer descansar, não quer aplaudir. Nem precisava, na verdade, não há um espetáculo em curso. Ela poderia ter compaixão e respeito pela ingrata missão de dar certo que todos têm e fazem o que for preciso pra isso. O burro não se importa de ser carga, ele é leal ao ideal. Pense bem no porco que comemora sua alegria rolando na lama e comendo lavagem? A felicidade pertence, não merece júdice.

Eu prefiro ser um burro bem porco.

E com sorte, sim.

Tags: