Pela primeira vez camisa 10, Luiz Adriano fala em desafio e títulos no Palmeiras

Pela primeira vez camisa 10, Luiz Adriano fala em desafio e títulos no Palmeiras

Foto: Reprodução/TV Palmeiras

O Palmeiras tem um novo camisa 10!

Luiz Adriano foi apresentado na manhã desta quinta-feira, 8, na Academia de Futebol, e recebeu das mãos de Alexandre Mattos, a camisa que era desde 2017 de Moisés.

O atacante que voltou para o Brasil após mais de 10 anos na Europa, disse ter escolhido o Palmeiras pelo desafio de conquistar mais títulos na carreira.

Confere aí o resumo da coletiva de apresentação do novo camisa 10 do Verdão!

Porque escolheu o Palmeiras nessa volta ao Brasil?

Como o Mattos acabou de falar, o projeto do clube é muito grande, eu decidi vir por que já estava a muito tempo na Europa, queria ficar perto da minha familia. Acreditei muito no projeto do Palmeiras, será um novo desafio pra mim, por isso resolvi voltar!

Joga domingo?

(Risos) Estou treinando. Vamos ver o que o professor vai decidir, agora é preparar todo mundo. estou pronto. Vamos ver o que ele vai preparar para a partida.

Chega para resolver o problema no ataque?

O ataque do Palmeiras tem jogadores de muita qualidade, o Palmeiras não tem essa falta de atacante. Estou vindo pra ajudar. Eu não sei como o professor vai me usar ainda, mas vim pra somar com os outros quatro atacantes que tem aqui.

Onde se sente mais a vontade?

Joguei muito tempo como centroavante, nos últimos tempos de Spartak joguei pelo lado. Pra ajudar o time não tenho problema de jogar pelo ponta. Trabalhando durante a semana, se preparando, se adaptando, posso jogar na ponta sem problema algum.

Adaptação no Brasil...

Espero me adaptar o mais rápido possivel, poder ajudar o Palmeiras da melhor forma. Espero dar o meu máximo quando estiver em campo e ajudar os meus novos companheiros.

Pela primeira vez na carreira vai usar a camisa 10?

Nunca joguei com a 10. O peso que essa camiseta tem, em um clube desse tamanho. O número 10 do Palmeiras, fico feliz de estar recebendo ela, pela história que ela tem, vou dar meu máximo para honrar esse número.

O que te seduziu para escolher o Palmeiras?

Projeto de títulos, de grandes jogos, da estrutura que tem o clube, essa tranquilidade que eles dão pro jogador, eu estava precisando disso. Esse projeto que o Palmeiras tem de conqusitar cada vez mais títulos é muito bom.

Experiência europeia. O que pode agregar ao grupo?

Posso ajudar com minha experiência que adquiri nesses mais de 10 anos na Europa. Posicionamento, da forma de marcar, junto com nosso esquema tático, isso me ajudou bastante.

Oportunidade de trabalhar com Felipão

Um grande treinador, todo mundo conhece o Felipão, é uma experiência nova pra mim trabalhar com ele, aprender mais coisas com ele no dia a dia. Estou muito feliz de poder trabalhar com ele!

Passado no Inter e duelo contra o Grêmio na Libertadores...

Acho que é uma oportunidade que eu tenho de voltar a jogar no Brasil, claro que vamos pegar o Grêmio, mas nosso objetivo não é pensar na rivalidade pelo meu passado no Inter, meu objetivo é avançar nas competições com o Palmeiras, independente de quem for o adversário.

Estrutura do Palmeiras e adaptação ao elenco...

Não vou citar nomes, todo mundo está me ajudando dentro do vestiário. Não posso falar em dois ou três. Sobre a estrutura, acho que não deixa faltar nada pra Europa. Já joguei no Milan, no Shakthar e no Spartak. Posso dizer que não falta nada aqui no Palmeiras!

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!