Choque-Rei vale mais do que apenas os 3 pontos para o Palmeiras; veja os motivos

Choque-Rei vale mais do que apenas os 3 pontos para o Palmeiras; veja os motivos

Foto: César Greco/Ag. Palmeiras/ Divulgação

O líder isolado do Brasileirão volta a defender a ponta da tabela neste sábado, diante do São Paulo, no Morumbi, em duelo válido pela décima rodada do campeonato.

Mais do que a busca pelos três pontos para manter a sua incrível campanha, o Palmeiras defende algumas importantes marcas diante do São Paulo.

Além de ser o único invicto desse Brasileirão, a equipe de Scolari vem de 11 vitórias seguidas na temporada, e não perde há 16 jogos (contando somente os jogos oficiais). A última derrota foi para o San Lorenzo, na Argentina, pela Libertadores.

Com 32 jogos sem perder no Brasileirão, os números do Verdão como visitante desde a volta de Felipão impressionam.

Desde que o pentacampeão voltou ao Palmeiras, a equipe saiu de casa 15 vezes pelo torneio nacional e não perdeu nenhuma vez. Foram oito vitórias e sete empates jogando como visitante.

Um desses confrontos inclusive foi contra o São Paulo, quando o alviverde derrubou um tabu de 16 anos no Morumbi e seguiu imparável rumo ao 10° título brasileiro.

Scolari já enfrentou o São Paulo quatro vezes desde a sua volta. Foram duas vitórias e dois empates. Porém o último encontro deixou um gosto amargo no palmeirense, que viu o São Paulo avançar para a final do Paulistão nos pênaltis.

A última derrota do Palmeiras para o tricolor paulista foi em 2017. De lá pra cá foram 6 jogos, com quatro vitórias alviverdes e dois empates.

Para o duelo deste sábado, Felipão deve mexer bastante na equipe titular do Palmeiras.

Uma provável escalação alviverde seria: Weverton, Mayke, Antônio Carlos, Dracena e Victor Luís; Thiago Santos, Bruno Henrique, Raphael Veiga; Scarpa, Dudu e Deyverson (Borja).

Com 5 pontos de vantagem sobre o segundo colocado, Santos, o Palmeiras não perde a liderança nesta rodada do Brasileiro mesmo com uma derrota no Morumbi.

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!