Novo gramado é apresentado e Palmeiras e WTorre avançam na construção de novo museu do clube

Novo gramado é apresentado e Palmeiras e WTorre avançam na construção de novo museu do clube

(Luis Davantel, da WTorre, Maurício Galiotte e Alessandro Oliveira, da Soccer Grass - Foto: Gabriel Amorim)

O novo gramado do Allianz Parque foi apresentado nesta quarta-feira (12) e logo na sequência Maurício Galiotte concedeu entrevista coletiva ao lado do CEO da WTorre, Luis Davantel, e Alessandro Oliveira, executivo da Soccer Grass, responsável pela implementação do novo piso.

Durante o atendimento aos jornalistas, o responsável pela WTorre disse que o museu no estádio está próximo de sair do papel.

“Já definimos o local para a construção do museu do clube. Será vizinho ao estádio (onde fica a sala de entrevistas coletivas do Allianz Parque). Tem uma visibilidade externa muito boa. Estamos em ritmo acelerado de trabalho, na parte técnica e jurídica. Não tem uma data específica. Daqui um mês poderemos dar uma previsão melhor”, disse Luis Davantel.

A coletiva serviu também para tirar dúvidas em relação a grama artificial e os benefícios que a adesão a esse novo estilo de grama pode trazer, tanto no âmbito esportivo quando na questão econômica da parceria.

“ Não tem custo maior que o prejuízo esportivo, de você não poder atuar no seu estádio, de não ter uma grama adequada. Todos sabem que temos uma parceria com a WTorre, e que para manter essa união de forma sustentável é necessário alias as partidas de futebol com outros eventos. Acredito que agora isso poderá ser feito de uma forma mais adequada”, explicou Galiotte.

Outro ponto importante debatido, foi a questão do impacto que o novo piso pode trazer na prática esportiva:

“ Pelo contrário. Ela tem uma regularidade, diferente da grama natural, isso ajuda inclusive na prevenção de lesões”. A grande vantagem é que, a nova grama tem uma espécie de memória. Assim que a proteção do show é retirada, ela volta ao estado natural, do jeito que estava anteriormente. Quanto mais essa grama é pisada, melhor, porque ele é moldada", afirmou Alessandro Oliveira.

O executivo da Soccer Grass informou ainda que a previsão de economia com a grama artificial é de 75% e que, apesar dos alto custo de implantação, o retorno será rápido, haja vista que além de um custo inferior no cuidado com o novo piso a nova agenda poderá aumentar o número de jogos e shows no local. O tempo médio de vida útil do novo gramado é entre dez e 15 anos.

Em relação a implantação na Academia de Futebol, a previsão de término das obras está prevista para daqui duas ou três semanas.

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!

  • Vinícius Gutierres

    Vinícius Gutierres

    Formado em Jornalismo e Direito pela Puc-Campinas.