Defesa que ninguém passa: Há um mês sem sofrer gols, Palmeiras busca novos recordes

Defesa que ninguém passa: Há um mês sem sofrer gols, Palmeiras busca novos recordes

Consolidado desde a volta de Luiz Felipe Scolari, há pouco menos de um ano, como um dos sistemas defensivos mais sólidos do país,o Palmeiras completa, nesse sábado 01/06, a importante marca de um mês sem tomar gols. O último tento sofrido foi contra o CSA, no dia 01/05, em partida válida pela segunda rodada do Brasileirão 2019.

Nesse ínterim, contabilizando Brasileirão, Libertadores e Copa do Brasil, são sete partidas: Internacional - 1x0, San Lorenzo - 1x0, Atlético-MG - 2x0, Santos - 4x0, Sampaio Correia - 1x0, Botafogo - 1x0 e a vitória de 2x0, na última quinta-feira, que ratificou a classificação da equipe alviverde à fase quartas de final da Copa do Brasil.

Cabe ressaltar que a maior série do clube sem sofrer gols foi em 1987, ano em que a zaga alviverde não foi vazada por doze jogos consecutivos. Em 2018, diante do Internaciona, empate em 0x0, no Beira Rio, pelo Brasileiro, o Palmeiras igualou a sua segunda maior marca, estabelecida nos anos de 1960 e 1973, somando nove confrontos seguidos.Falta pouco, portanto, para o estabelecimento de um novo recorde.

A dupla considerada titular, Luan e Gustavo Goméz, têm números ainda mais expressivos. No duelo desde domingo, na Arena Condá, poderão ultrapassar, caso joguem juntos, incríveis mais de 1000 minutos sem sofrer gols. Já Antonio Carlos e Dracena somam pouco mais de 180 minutos. A boa fase dos zagueiros agregada à ascensão de um sistema defensivo forte, com recomposição rápida e efieciente dos demais atletas, é o grande segredo da equipe de Scolari.

Diante de um campeonato nacional tão equilibrado e da proximidade de fases decisivas dos torneios classificatórios, não tomar gol, sem dúvidas, é um grande passo para obter as vitórias e classificações desejadas. Será que, nesse domingo, à frente da Chape, a zaga alviverde continuirá intransponível, escrevendo novos recordes ou essa marca será quebrada?

Tags: