Deyverson é a melhor opção como atacante do Palmeiras; Entenda os motivos

Deyverson é a melhor opção como atacante do Palmeiras; Entenda os motivos

Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Deyverson, Borja ou Arthur Cabral? Essas são as opções que Luiz Felipe Scolari tem para a posição de centroavante no Palmeiras. E ele já tem um escolhido: Deyverson.

Analisando apenas a média de gols por jogo deste ano, o camisa 16 já se destaca. Pouco, pois tem 0,25 G/J contra 0,21 de Borja e 0,20 de Arthur Cabral. Mas a superioridade de Deyverson é maior que simplesmente uma média de gols. Com apenas um atrás do artilheiro da temporada, Gustavo Scarpa, e com médias semelhantes (Scarpa tem 0,30 G/J), o atacante escolhido por Felipão é notoriamente mais útil ao time do que seus companheiros de posição.

A comparação com Arthur Cabral chega a ser injusta, visto que o jovem atuou apenas 5 vezes pelo Palmeiras. O verdadeiro duelo fica entre Borja e Deyverson. O Nosso Palestra analisou todos os gols do Palmeiras na temporada e constatou que, além de mais participativo defensivamente - algo que Felipão até pediu para Deyverson diminuir, o camisa 16 tem participação mais efetiva em gols.

Deyverson---a-melhor-op--o-como-atacante-do-Palmeiras--entenda-os-motivos---nosso-palestra-principal---Murilo-Dias-1
Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

CAMPEONATO BRASILEIRO
Palmeiras 4 x 0 Fortaleza - Deyverson titular
No até então primeiro gol do Palmeiras no campeonato, Diogo Barbosa cruza e Deyverson ajeita para Bruno Henrique. O capitão bate e no rebote Dudu, impedido, empurra para o gol. Bem anulado.

No que abriu o placar para o Palmeiras diante do Fortaleza, Deyverson inicia a jogada e abre para Diogo Barbosa na esquerda. O lateral cruza rasteiro e Zé Rafael faz.

Marcos Rocha, que fez o segundo do Verdão na partida, chegou com liberdade após cruzamento de Zé Rafael. Mesmo sem tocar diretamente na bola, Deyverson, no começo do lance, pelo forte poder aéreo, atrai a marcação do zagueiro Quintero e do lateral-direito Tinga. Zé recebe livre, no espaço que deveria estar coberto pelo lateral do Fortaleza. Ele cruza e Rocha aparece para marcar. Apesar da movimentação importante, não é contabilizada a fins estatísticos a participação de Deyverson.

Nos outros dois gols do Palmeiras, marcados por Zé Rafael e Bruno Henrique, Deyverson não participou diretamente. (1/4)

CSA 1 X 1 PALMEIRAS - Deyverson titular
Um dos únicos titulares em campo, ou o único, porque até então Lucas Lima atuava entre os reservas, Deyverson não teve participação no gol de voleio marcado por Raphael Veiga. (1/5)

PALMEIRAS 1 X 0 INTERNACIONAL - Deyverson titular
Não há mais nada direto que fazer o gol. Deyverson subiu com tranquilidade e aproveitou cruzamento perfeito de Dudu para fazer o gol da vitória do Palmeiras. (2/6)

ATLÉTICO-MG 0 x 2 PALMEIRAS - Deyverson titular
Nesta lista comentarei apenas a participação direta nos gols. Deyverson teve grandes chances no jogo, mas não atuou nos lances que terminaram com os gols de Bruno Henrique. (2/8)

PALMEIRAS 4 X 0 SANTOS - Deyverson titular
Foi essa a partida em que Deyverson revelou ao mundo que seria pai. Fez isso, obviamente, após marcar um gol - o único em que participou diretamente. Aproveitou assistência perfeita de Dudu (a segunda no jogo) e mandou para o fundo do gol. (3/12)

BOTAFOGO 0 X 1 PALMEIRAS - Deyverson titular
O polêmico jogo entre Botafogo e Palmeiras. Os três pontos demoraram a sair por conta de uma polêmica que envolveu o juiz e o VAR. Para relembrar: pênalti em Deyverson que, no momento do lance, não foi marcado. O juiz então foi avisado pelo VAR e deu a penalidade. Gómez converteu e o Palmeiras venceu o jogo. (4/13)

CHAPECOENSE 1 X 2 PALMEIRAS - Deyverson titular
Foi após uma tabela com Deyverson que Zé Rafael invadiu a área e, do chão, tocou para Dudu abrir o placar. Ponto para ele. Se fosse possível dar ponto negativo, essa seria a hora, pois Deyverson foi responsável também pelo gol de empate da Chape. Com o braço completamente levantado, o atacante do Palmeiras fez Deus, o mundo, Felipão do banco de reservas e, naturalmente, o VAR ver que a bola toca em sua mão. Pênalti convertido por Everaldo.

O gol da vitória, feito por Marcos Rocha, começou após cobrança de lateral de Dudu. O atacante até está perto da jogada, mas é Felipe Melo quem desvia. Após corte da defesa, Rocha guarda. Portanto: 5/15.

PALMEIRAS 1 X 0 ATHLETICO-PR - Deyverson titular
Apesar de estar na área quando Marcos Rocha lança para Dudu, que sofre o pênalti, Deyverson nada fez de significativo no lance. Penal bem convertido por Raphael Veiga. (5/16)

PALMEIRAS 2 X 0 AVAÍ - Deyverson titular
O camisa 16 demorou, por conta de um impedimento mal marcado e corrigido pelo VAR, para comemorar seu gol. Mas o fez. E com a ajuda da defesa do Avaí abriu o placar. Para avaliar o segundo gol revi o lance inúmeras vezes, buscando ângulos variados - até a imagem da TV Palmeiras foi usada. Em todos eu fiquei com a mesma impressão: A bola saiu dos pés de Lucas Lima diretamente para Bruno Henrique, o autor do gol. Porém, Deyverson passa entre Bruno e seu marcador mais próximo, o lateral-direito Lourenço. O camisa 97 do Avaí reage ao movimento de Deyverson e, embora tenha se recomposto rapidamente, abre o espaço que um jogador com o talento do Bruno Henrique precisa para fazer um gol de fora da área. Novamente, seguindo os critérios do Palmeiras, isso não é contado como participação direta em gol. Apenas movimentação importante. (6/18)

SÃO PAULO 1 X 1 PALMEIRAS - Deyverson titular
Pouco a dizer, o lance é claro. Sai dos pés de Deyverson a bola que chega em Dudu que, de cobertura, empatou o clássico no Morumbi. (7/19)

Foram 19 gols do Palmeiras até aqui no Campeonato Brasileiro (texto escrito após a 10ª rodada). Deyverson, titular em todas as partidas, teve participação direta em mais de um terço dos gols do Verdão: 36,8%. Vale ressaltar, mais uma vez, as movimentações essenciais do atacante. Por mais que não entrem para estatística, os passos de Deyverson foram fundamentais para diversos gols. A porcentagem de participação, caso isso fosse contabilizado, seria próxima a 50%.

Dados sobre Deyverson no Campeonato Brasileiro:
Faltas sofridas: 19 (8º no Campeonato - 3º no Palmeiras)
Dribles certos: 5 (18º no Campeonato - 2º no Palmeiras)
Finalizações certas: 8 (19º no Campeonato - 3º no Palmeiras)
Finalizações totais: 16 (26º no Campeonato - 2º no Palmeiras)
Impedimentos: 10 (1º no Campeonato - 1º no Palmeiras)
Perdas de posse da bola: 50 (11º no Campeonato - 1º no Palmeiras)
Passes certos e errados: 142/58 - Aproveitamento de 59,2%

Deyverson---a-melhor-op--o-como-atacante-do-Palmeiras--entenda-os-motivos---nosso-palestra---Murilo-Dias
Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

COPA DO BRASIL:
Nas duas primeiras partidas do Palmeiras na Copa do Brasil - os duelos contra o Sampaio Corrêa nas oitavas de final - Deyverson foi reserva. Borja, reserva imediato, viu Arthur Cabral ser escolhido para a estreia do Verdão na Copa. O jovem atacante, porém, nada fez e foi substituído por Deyverson no segundo tempo. Nem um, nem outro, tiveram participação no gol de falta de Moisés.

Já no jogo de volta, Borja foi escolhido e Deyverson não atuou. O camisa 9 nada fez para o gol de Mayke, que abriu o placar. Contudo, no segundo gol, o de Zé Rafael, Borja teve movimentação importante e atraiu a marcação dos dois zagueiros do Sampaio Corrêa. Zé, sozinho, cabeceou para o gol.

Foi também do meia o gol da vitória contra o Internacional, no jogo de ida das quartas de final. Deyverson, em campo, estava bem próximo do lance que resultou no gol. Mas tanto ele, quanto Zé estavam livres de marcação - erro coletivo da defesa gaúcha. O camisa 16 não foi determinante para que o gol saísse.

No final das contas, na Copa do Brasil, as participações de Deyverson em gols foram: 0/4. Borja, apesar da movimentação, também teve participação direta zerada. Arthur Cabral manteve o rendimento dos companheiros.

Número de jogos por atacante:
Deyverson - 2/3
Borja - 1/3
Arthur Cabral - 1/3

Número de participação direta em gols:
Deyverson - 0/4
Borja - 0/4
Arthur Cabral - 0/4

Média de participação direta/jogo:
Deyverson: 0
Borja: 0
Arthur Cabral: 0

Média de participação direta/gol:
Deyverson: 0
Borja: 0
Arthur Cabral: 0

Deyverson---a-melhor-op--o-como-atacante-do-Palmeiras--entenda-os-motivos---nosso-palestra---Murilo-Dias-3
Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

LIBERTADORES:
O Palmeiras terminou a fase de grupos com o melhor ataque da competição: 13. Deyverson foi responsável por dois destes gols. Borja não marcou, apesar de ter entrado em campo em três dos seis jogos. Arthur Cabral, que também recebeu oportunidades, não balançou as redes.

Os gols:
JUNIOR BARRANQUILLA 0 X 2 PALMEIRAS - Borja titular
Quando Dudu achou Gustavo Scarpa para este abrir o placar do jogo, Borja estava dentro da área. O camisa 14, todavia, não teve a vida facilitada por nenhuma ação do colombiano. Já o segundo só saiu por conta do camisa 9. Lançado em velocidade, Borja viu que não conseguiria chegar ao gol devido a marcação do Junior e, inteligentemente, segurou a bola e esperou a aproximação de algum companheiro. Marcos Rocha apareceu, recebeu a assistência do camisa 9, e fez o gol.

PALMEIRAS 3 X 0 MELGAR - Deyverson titular
Em sua estreia na Libertadores, Deyverson não decepcionou. Apesar de não ter participado do gol de Felipe Melo, o primeiro do jogo, Deyverson iniciou a jogada do segundo, feito por Ricardo Goulart, e depois recebeu passe do mesmo Goulart para fazer o terceiro do Palmeiras no jogo.

SAN LORENZO 1 X 0 PALMEIRAS - Deyverson titular
Na única derrota do Palmeiras na Libertadores até o momento, Deyverson foi o escolhido. Ele teria dado uma bela assistência para um gol ainda mais bonito. Mas a bicicleta de Moisés não entrou e o Verdão não saiu do zero no jogo.

PALMEIRAS 3 X 0 JUNIOR BARRANQUILLA - Deyverson titular
Deyverson foi o responsável por abrir o placar do jogo após pegar rebote de uma finalização de Dudu. No golaço do camisa 7, o segundo do Palmeiras, Deyverson nada fez. O camisa 16 teria outra participação direta por ter começado a jogada que passou por Mayke e terminou em Dudu. Mas o lateral estava avançado e o impedimento foi marcado de forma correta. Deyverson não estava mais em campo quando Hyoran finalizou o placar da vitória do Verdão.

MELGAR 0 X 4 PALMEIRAS - Deyverson titular
Na maior goleada do Palmeiras na atual edição da Libertadores, Deyverson teve atuação discreta em relação a participação direta em gols. No primeiro, de Gómez, estava na área, mas o mérito foi do zagueiro que se livrou da marcação e subiu sozinho para marcar de cabeça. O segundo gol do Verdão, feito por Scarpa, teve participação de Deyverson. Desde o início da jogada, o atacante carrega dois marcadores para dentro da área, abrindo espaço para o camisa 14 finalizar de fora da área. Movimentação importante para o gol alviverde.

Apesar de também ter se movimentado e atraído a marcação no terceiro gol, Scarpa tinha um adversário marcando seus passos. Gol do Palmeiras, desta vez sem Deyverson. Assim como o quarto, feito por Moisés.

PALMEIRAS 1 X 0 SAN LORENZO - Borja titular
No último jogo da fase de grupos, Felipão deu chance para Borja e Arthur Cabral. O colombiano, titular, não estava em campo quando Scarpa acertou belo chute de longa distância e foi ajudado pelo goleiro Monetti para fazer o gol da vitória do Palmeiras. O brasileiro não teve participação no lance.

Número de jogos por atacante:
Deyverson - 4/6
Borja - 3/6
Arthur Cabral - 1/6

Número de participação direta em gols:
Deyverson - 3/13
Borja - 1/13
Arthur Cabral - 0/13

Média de participação direta/jogo:
Deyverson - 0,75
Borja - 0,33
Arthur Cabral - 0

Média de participação direta/gol:
Deyverson - 0,23
Borja - 0,07
Arthur Cabral - 0

Deyverson---a-melhor-op--o-como-atacante-do-Palmeiras--entenda-os-motivos---nosso-palestra---Murilo-Dias-2
Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

CAMPEONATO PAULISTA
RB BRASIL 1 X 1 PALMEIRAS - Borja titular

O camisa 9 do Palmeiras aproveitou cruzamento perfeito e fez o primeiro gol do Palmeiras na temporada. Ele teria feito o segundo após toque de Felipe Pires, mas o estreante estava em posição de impedimento. Deyverson entrou no lugar de Borja na segunda etapa, mas não alterou o placar.

PALMEIRAS 1 X 0 BOTAFOGO-SP - Deyverson titular
Aproveitando a chance como um dos 11 que começaria o jogo, o camisa 16 não decepcionou. Foi dele o gol que garantiu a vitória do Palmeiras na estreia do Allianz Parque na temporada de 2019. Borja e Arthur não atuaram.

SÃO CAETANO 0 X 2 PALMEIRAS - Borja titular
A titularidade fez bem ao centroavante do jogo. Borja, após bom jogo de corpo com a zaga adversária, abriu o placar para o Palmeiras. Mesmo estando dentro da área e chamando atenção da zaga, o atacante não teve participação direta no gol do zagueiro Luan. Seus companheiros de posição não foram para o campo.

OESTE 0 X 1 PALMEIRAS - Deyverson titular
Primeira vez como titular e sem fazer gols, Deyverson viu Felipe Pires marcar o gol da vitória do Palmeiras. Borja não entrou e Arthur Cabral seguiu sem fazer sua estreia com a camisa do Palmeiras.

PALMEIRAS 0 X 1 CORINTHIANS - Borja titular
Nenhum dos atacantes do Palmeiras conseguiu evitar a derrota para o maior rival dentro do Allianz Parque. Para piorar, Deyverson, que entrou no lugar de Borja, foi expulso por cuspir em um adversário aos 43 minutos do segundo tempo.

PALMEIRAS 2 X 0 BRAGANTINO - Borja titular
Alternando os atacantes até o momento, Felipão foi obrigado a escalar Borja duas vezes seguidas com a suspensão de Deyverson. O atacante colombiano nada fez para o gol de Dudu, que abriu o placar, mas sofreu o pênalti que resultou no gol de Gustavo Scarpa.

FERROVIÁRIA 0 x 0 PALMEIRAS - Borja titular
Na estreia de Ricardo Goulart, o Palmeiras não saiu do zero. E Arthur Cabral seguiu sem jogar.

PALMEIRAS 0 X 0 SANTOS - Borja titular
Sem o fator Goulart, o mesmo quadro do jogo anterior. Sem gols, sem Arthur.

PALMEIRAS 3 X 2 ITUANO - Borja titular
Após 5 jogos sem marcar, Borja voltou a balançar as redes contra o Ituano. Antes disso, porém, o atacante deu passe para o primeiro gol de Ricardo Goulart com a camisa do Palmeiras. No segundo do camisa 11, apesar da proximidade, Borja não teve participação direta. Retribuindo a assistência para o seu primeiro gol, Goulart mandou de peito e Borja fez o terceiro gol do Palmeiras no jogo.

MIRASSOL 1 X 1 PALMEIRAS - Borja titular
Borja não fez gol, mas sofreu o pênalti que Gustavo Gómez converteu com precisão. Arthur Cabral seguiu sem estrear.

SÃO PAULO 0 X 1 PALMEIRAS - Borja titular
A única "participação" de Borja foi dar lugar a Carlos Eduardo em campo para que este fizesse um golaço e desse a vitória ao Palmeiras.

PALMEIRAS 1 X 0 PONTE PRETA - Nenhum dos três
O jogo foi usado por Felipão para testar o elenco, tanto que três jogadores da base fizeram sua estreia no profissional: Vitão, Lucas Esteves e Léo Passos. Veiga fez o gol da vitória do Palmeiras e Arthur Cabral, mesmo em um jogo de reservas, não atuou.

NOVORIZONTINO 1 X 1 PALMEIRAS - Borja titular
O termo "Borja titular" neste jogo, para quem tem boa memória, deve trazer péssimas lembranças. O camisa 9 irritou muito a torcida no Palmeiras com claras chances de gol perdidas no primeiro tempo, tanto que foi substituído no intervalo. Em seu lugar, finalmente, Arthur Cabral. O estreante aproveitou furada de Felipe Pires e marcou seu primeiro gol com a camisa do Palmeiras.

PALMEIRAS 5 X 0 NOVORIZONTINO - Deyverson titular
Após cumprir seis jogos de suspensão e se recuperar de lesão na coxa, Deyverson voltou ao Palmeiras. Foram 8 jogos de molho para o atacante que voltou sem fazer gols, mas ajudou o Palmeiras a golear o adversário e avançar para a semifinal do Campeonato Paulista.

Não no primeiro gol, o de Felipe Melo, mas no segundo. Goulart mandou para o gol após desvio de Deyverson no primeiro pau. Scarpa fez de pênalti o terceiro, sem Deyverson, mas o quarto, também de pênalti, agora de Dudu foi após falta dentro da área em cima do camisa 16. Com a goleada sacramentada e a vaga assegurada, Felipão fez mudanças no time e uma delas foi a entrada de Arthur Cabral. O atacante aproveitou a chance que teve e desviou a bola de cabeça após lateral de Dudu. A bola ainda passou nos pés de Bruno Henrique antes de Scarpa mandar para o gol.

SÃO PAULO 0 X 0 PALMEIRAS - Deyverson titular
Deyverson teve algumas chances, mas a bola chegou pouco ao atacante. E o Palmeiras não saiu do zero.

PALMEIRAS 0 (4) X (5) 0 SÃO PAULO - Deyverson titular
Apesar de ter feito uma boa partida, Deyverson não conseguiu ajudar o Palmeiras e evitar a eliminação dentro do Allianz Parque, após cobranças de pênaltis.

Jogos:
Deyverson - 7/16
Borja - 10/16
Arthur Cabral - 2/16

Participação em gols:
Deyverson - 3/19
Borja - 6/19
Arthur Cabral - 2/19

Média: Participação em gol/jogo:
Deyverson: 0,42
Borja: 0,60
Arthur Cabral: 1

Média: Participação direta/gol:
Deyverson: 0,15
Borja: 0,31
Arthur Cabral: 0,10

Deyverson---a-melhor-op--o-como-atacante-do-Palmeiras--entenda-os-motivos---nosso-palestra---Murilo-Dias-4
Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Apresentados todos os números, acrescentamos aqui as informações sobre finalização também em todos os campeonatos. A começar pelo Campeonato Brasileiro, Deyverson, o único que jogou, finalizou 16 vezes e acertou metade disto. 50% de aproveitamento. Os outros dois não estrearam na competição.

Na Copa do Brasil, Borja finalizou apenas duas vezes. Uma certa, outra errada. Deyverson apenas um chute, errado, e Arthur Cabral não finalizou.

Na Libertadores, Deyverson é o que aparece mais bem colocado com 7 finalizações totais e 3 certas, com aproveitamento de 42,7%. Borja finalizou 3 vezes e duas de forma errada, ficando com 33,3% de aproveitamento. Cabral, apesar de ter entrado em campo, não finalizou.

No Campeonato Paulista, Borja foi o que liderou o ranking de finalizações totais no elenco do Palmeiras. Porém, das 26 finalizações, 17 foram erradas. Aproveitamento então de 34,6%. Deyverson finalizou 14 vezes sendo 11 de forma equivocada, dando a ele um aproveitamento de 21,4%. Arthur Cabral finalizou apenas 3 vezes a gol, e destes acertou 2, ficando com aproveitamento de 66,6%.

A conclusão que podemos tirar, analisando apenas os números, é de que Deyverson é mais útil ao time e em jogos de nível elevado. Em campeonatos como o Brasileirão e a Libertadores, o camisa 16 é superior aos rivais (os poucos jogos na Copa do Brasil fazem com que o embate esteja empatado entre os três). E é de se pensar que os dados seriam semelhantes no Paulistão, se Deyverson não tivesse atuado pouco por conta do que é mais negativo da sua pessoa: o controle emocional.

Ele foi o único jogador expulso pelo Palmeiras no Campeonato Paulista deste ano. E não foi expulso por um motivo banal... Ele cuspiu em um adversário de competição. Algo que, independente do time rival, deveria ser totalmente abominado.

No Brasileiro, ele é o quarto mais advertido do elenco, atrás de jogadores como Felipe Melo e Antônio Carlos, que tem a marcação como principais funções. E, apesar de não ter sido advertido na Copa do Brasil (apenas um jogo), Deyverson já recebeu dois cartões amarelos em 6 partidas da Libertadores, os mesmos que Felipe Melo, Bruno Henrique, Luan e Thiago Santos - novamente jogadores de combate.

Isso sem contar todo o histórico do atacante. E falando em dados retroativos, analisemos então o ano de 2018.

As médias de Deyverson e Borja por campeonato na temporada passada:

2018 - Total:
Borja - 44 jogos/20 gols. Média de 0,45 gol por jogo.
Deyverson - 42 jogos/10 gols. Média de 0,23 gol por jogo.

Campeonato Paulista de 2018
Borja - 12 jogos/7 gols. Média de 0,58 gol por jogo.
Deyverson - 2 jogos/0 gols. Média zerada.

Copa do Brasil de 2018
Borja - 4 jogos/1 gol. Média de 0,25 gol por jogo.
Deyverson - 3 jogos/0 gols. Média zerada.

Libertadores de 2018
Borja - 12 jogos/9 gols. Média de 0,75 gol por jogo.
Deyverson - 8 jogos/0 gols. Média zerada.

Brasileirão de 2018
Borja - 16 jogos/ 3 gols. Média de 0,18 gol por jogo.
Deyverson - 26 jogos/9 gols. Média de 0,34 gol por jogo.

Borja, quando motivado (não podemos esquecer o fator Copa do Mundo), é mais letal. Mas Deyverson, com a cabeça no lugar, é muito mais útil. E é nisso que Felipão se apega. Na funcionalidade de cada peça dentro de um todo.

Deyverson é melhor no jogo aéreo, pressiona a primeira linha do adversário e tem uma recomposição melhor. Pode perder a cabeça as vezes, mas é mais fácil corrigir isso do que mudar o sistema de um time que está a 33 jogos sem saber o que é uma derrota na principal competiação nacional para a adaptação de um só jogador.

  • Murilo Dias

    Murilo Dias

    Murilo Dias começou no LANCE!, fez parte da LANCE!TV, honrou a camisa do Palmeiras por três anos de lutas e glórias na TV Palmeiras e hoje é apresentador e roteirista do canal Footstats no Youtube!