Dez anos depois, Obina relembra Dérbi em que fez três gols: “Diziam que Ronaldo iria quebrar o alambrado novamente”

Dez anos depois, Obina relembra Dérbi em que fez três gols: “Diziam que Ronaldo iria quebrar o alambrado novamente”

(Foto: Arquivo Lance!)

“Caramba, já são dez anos daquele dia. O tempo passa rápido demais”. Essa foi a reação de Obina ao saber que nesta sexta-feira (26) são exatos dez anos do Dérbi em que ele marcou três gols na vitória do Palmeiras por 3 a 0, pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro de 2009. Ele foi o último a conseguir o feito no clássico.

A partida, disputada em Presidente Prudente, teve homenagem para Ronaldo, que voltou ao local do primeiro gol pelo Corinthians também contra o rival. Do outro lado, Muricy Ramalho tinha acabado de chegar para assumir no lugar do interino Jorginho e estava no camarote.

A expectativa estava longe de estar no atacante palmeirense e a vitória começou antes mesmo da partida.

“Foi difícil chegar. Tivemos problema com o voo, não conseguimos pousar e voltamos para ir de ônibus. Encontramos com alguns torcedores do Corinthians no aeroporto e eles provocaram: “O Ronaldo vai quebrar o alambrado novamente”. Chegamos às 5h da manhã no hotel e o elenco deles estava lá desde sábado, descansando. Tudo isso motivou, com certeza”, relembra Obina ao Nosso Palestra.

Em março do mesmo ano, o Fenômeno marcou nos acréscimos no empate por 1 a 1, pelo Paulista, foi comemorar com a torcida e o alambrado cedeu.

O camisa 28 tem certeza que esta é a melhor recordação dele no clube entre as duas passagens - voltou em 2012 - apesar de ter feito três gols contra o Goiás, no Palestra Italia, na mesma competição.

“Quando fiz o primeiro ou segundo gol eu olhei para o camarote e vi o Muricy comemorando com o Tata (auxiliar). A gente estava brigando pela ponta e aquela vitória foi importante”, diz.

Obina marcou cinco vezes naquele dia, porém dois tentos foram anulados corretamente.

“Marcar três gols já é sensacional, ainda mais em um jogo desse tamanho, fazer cinco seria incrível. Se a gente tivesse forçado teria feito mais, sem dúvida”, finaliza o ex-jogador.

Obina-Jap-o
Obina em campo pelo Matsumoto, time que veste verde. Foto: Divulgação

  • Rafael Bullara

    Rafael Bullara

    Formado em jornalismo, foi editor do Lance!, onde ficou por 12 anos. MBA em Gestão e Marketing Esportivo na Trevisan Escola de Negócios