Dono do Pyramids retira investimentos e jogadores podem ser vendidos; Keno gostaria de voltar ao Palmeiras

Dono do Pyramids retira investimentos e jogadores podem ser vendidos; Keno gostaria de voltar ao Palmeiras

Foto de Marcelo Brandão/Click Parmera

Nessa terça-feira, o canal oficial do Pyramids, do Egito, anunciou o fim dos investimentos do milionário Al-Sheikh no clube. Foi por meio dos seus 37 milhões de reais que Keno deixou o Palmeiras para seguir suas aventuras em terras africanas, por exemplo. Por meio de veículo oficial, o Pyramids anunciou que o jogadores devem ser vendidos e o atacante Keno, em conjunto com seu staff, já decidiu que a confirmação da turbulência pode levar a um telefonema para Alexandre Mattos. Importante lembrar que um retorno do jogador ao Palmeiras só poderia acontecer a partir do dia 10 de janeiro de 2019, por conta da janela de transferências do país.

De acordo com o que pude apurar, o abalo dos comunicados oficiais ainda não teve reflexo no clube. Até a manhã dessa terça-feira, Keno passou a pessoas próximas que não há mudança em sua programação e nem mesmo foi comunicado de qualquer possibilidade de saída do clube. Porém, caso tenha de se transferir por conta de uma crise, ele procurará o Palmeiras para voltar ao Brasil. Uma pessoa próxima a ele garantiu que, dentro das circunstâncias colocadas acima, Keno não retorna "só se o Palmeiras não quiser".

Vale lembrar que o Palmeiras recebeu os valores acordados pelo passe de Keno á vista, portanto não há qualquer débito do Pyramids com o clube paulista. Além do atacante, Ribamar, Rodriguinho, Carlos Eduardo e até o técnico Alberto Valentim (que já deixou o clube) também foram contratados pelo milionário saudita. Há ainda muitas dúvidas sobre como o clube realizará as vendas dos atletas, já que Al-Sheikh pode tentar levar os jogadores contratados com seu dinheiro para o futebol de seu país.

  • Rodrigo Fragoso

    Rodrigo Fragoso

    Formado em Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero e especializado em gestão, direito e marketing esportivo pela FIFA/CIES/FGV.