Dudu e Felipe Melo exaltam Luxemburgo e defendem treinos físicos na areia

Dudu e Felipe Melo exaltam Luxemburgo e defendem treinos físicos na areia

Foto: César Greco/Ag. Palmeiras

Maior ídolo neste elenco do Palmeiras para 2020, Dudu concedeu coletiva nesta manhã na Academia de Futebol ao lado de seu companheiro de equipe, Felipe Melo. A dupla 'Baixola e Pitbull' aproveitou a coletiva para defender Vanderlei Luxemburgo das críticas da imprensa, principalmente sobre o treino na caixa de areia, que virou assunto nesta semana.

O camisa 30 usou até o melhor jogador de futebol do mundo para defender o seu novo treinador.

"Existe crítica que não vale a pena a gente nem comentar. Eu estava vendo crítica do pessoal que falou que é ultrapassado trabalhar na areia. E há dois dias eu vi o Messi postando um trabalho na areia para começar 2020 voando. As críticas existem de todas as partes. Mas não compactuo com elas. Nós sabemos do potencial do nosso treinador, a história por si só já diz o que representa. E a gente espera que a experiência deles e a inteligência a cada ano que passa ele tem que demonstrar que é um dos principais treinadores do país", disse Felipe Melo.

Dudu foi menos polêmico e afirmou gostar do treino na caixa de areia. O ídolo da torcida ainda relembrou que outros preparadores físicos já fizeram esse tipo de trabalho nos 5 anos em que ele esteve no clube.

'Não tem essa do Luxemburgo ser ultrapassado. Pelo papo que a gente teve, os treinos que ele passou. Tudo está supermoderno. Nunca tinha feito os treinos deles, nunca tinha visto o papo que ele tem. É vitorioso, excelente, tem tudo para nos ajudar. A gente tem muita confiança nele e esperamos ter conquistas esse ano. Eu particularmente gosto de trabalhar na areia. Dá mais força. Ano passado eu fazia bastante esse trabalho. Tem preparadores que gostam, outros não. A gente tem que se adaptar', afirmou Dudu.

Ainda sobrou tempo para Felipe Melo cutucar a imprensa e pedir mais valorização aos treinadores brasileiros, citando inclusive o endeusamento da crítica com Jorge Jesus e Jorge Sampaoli.

"As pessoas vem de fora e viram deuses. Temos que dar mais valor ao nosso produto. A gente esquece o que os nossos treinadores fizeram por nós. Luxemburgo também fez um grande trabalho no ano passado.', finalizou o camisa 30.

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!