E agora, Felipão? Primeira chance para Arthur Cabral ou mais uma para Borja?

E agora, Felipão? Primeira chance para Arthur Cabral ou mais uma para Borja?

(Fotos: César Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

Luiz Felipe Scolari tem um pequeno dilema para decidir nesta quarta-feira (8), quando o Palmeiras recebe o San Lorenzo pela última rodada da fase de grupos da Libertadores 2019.

Já classificado, o Verdão garante a liderança do grupo F até com um empate diante dos argentinos no Allianz Parque.

Após a vitória por 1 a 0 diante do Internacional, no último sábado, Scolari admitiu poupar Deyverson da partida desta quarta. O camisa 16 vem de 9 jogos seguidos como titular e provavelmente descanse amanhã.

Resta saber se Felipão dará a primeira chance para Arthur Cabral ou voltará a escalar Borja no lugar do 'menino maluquinho'.

46561000775_ef111c1130_z

Cabral chegou com muita expectativa por parte da torcida palmeirense, mas após 5 meses no clube ainda não recebeu uma chance se quer para começar um jogo como titular.

Nos poucos minutos que teve para demonstrar seu futebol, o camisa 39 deu bons motivos para Felipão escalá-lo, quando empatou o jogo diante do Novorizontino nas quartas de final do Paulista.

Já Miguel Borja nunca esteve tão desprestigiado nos seus mais de 2 anos de Palmeiras. Contratação mais cara da história do clube, o colombiano não atua há 9 partidas e apesar de um 2018 convincente, o camisa 9 teve péssimas atuações nessa temporada, colecionando gols inacreditáveis perdidos.

Há quem diga inclusive que o Palmeiras quer negociá-lo nesta janela europeia do meio do ano. Emprestá-lo não passa pela cabeça da diretoria palmeirense, que sonha em recuperar um pouco do investimento feito no melhor jogador das Américas em 2016.

Um fator que pesa a favor de Miguel, é o fato do atacante ter um bom aproveitamento pelo Verdão jogando a competição continental. Artilheiro da última edição e campeão em 2016, Borja costuma ser outro jogador na Libertadores.

E se você fosse o Felipão, quem você escalaria para a partida diante do San Lorenzo? Deixe o seu comentário!

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!