Certa vez vi uma entrevista do craque Alex, eterno camisa 10 que fez história no Palmeiras entre 1997 e 2001, onde ele falava que sempre procurou estudar a história dos clubes por onde passou, e que em sua opinião, isso era algo importantíssimo para defender as cores do time que iria pagar o seu salário.

É exatamente isso que está faltando para parte do elenco e até do técnico Palmeirense. Querer minimizar a derrota de ontem como uma coisa normal é desrespeitar a história do clube, do derby e de sua própria torcida.

Não é nada normal perder 6 derbys de 7 disputados. Não é normal ‘perder’ uma freguesia histórica que já passa de 50 anos. Se você não entende o peso que um Palmeiras e Corinthians têm, não está preparado para jogar ou comandar o Palmeiras.

É preciso menos números, menos táticas e mais estudo. De nada adianta ensaiar o xadrez, se as peças já entram em campo sem alma, sem um pingo de psicológico. No primeiro xeque-mate, um baque, e lá se vai mais uma derrota “normal” pra conta.

É hora de buscar mais os livros, mais os vídeos, mais a história. Entender que em um jogo desse é inadmissível um jogador passar como quer entre 2 adversários. É preciso ser mais Galeano. Desprezar o Derby e o adversário é menosprezar a sua própria história.

Alex diria: “Minha dica a todos que chegam em um clube do qual conhecem pouco é perguntar muito e se cercar de história e tradição. Não ganha jogos e campeonatos, mas ajuda muito na hora de absorver e entender o posicionamento do torcedor. Respeitar a história e filosofia do clube é o primeiro passo para ter um caminho limpo. Já existem vários obstáculos ao longo de um caminho. Se colocarmos mais um, fica cada vez mais duro caminhar”…

No Palmeiras, sempre o jogador contratado recebe um livro de presente com a história do clube. Quantos será que se deram o trabalho de ler?

Acorde que ainda há tempo, Palmeiras!

Deixe um Comentário