Em crise sem fim, venda de Viña é salvação para Nacional

Em crise sem fim, venda de Viña é salvação para Nacional

O Nacional, do Uruguai, vive uma crise sem precedentes. Afundado em problemas financeiros, o lendário clube, desde o início de 2019, com o atual presidente, adotou um novo modelo de gestão baseado em uso extensivo da base e contratações raríssimas e de baixíssimo custo. Havia um rombo gigante nas contas para ser tapado.

As atuações impactantes de Viña com a camisa do Nacional e também da seleção uruguaia geraram ao clube a oportunidade de fazer um negócio com valores completamente decisivos nessa fase de reformulação. Sem hesitar na ideia da transferência, a chegada de uma proposta que trouxesse dinheiro imediato ao Nacional, no caso do Palmeiras, foi preponderante na escolha entre o clube paulista e as ofertas europeias, que previam empréstimo seguido de compra.

Os prováveis 5.5 milhões de euros, válidos pela operação completa dos 60% dos direitos econômicos do atleta, deixando ainda ao Nacional uma porcentagem em venda futura, correspondem a um dinheiro que “salva o ano, tira a corda do pescoço”, como contou um importante envolvido na transação. O clube necessita desesperadamente dessa entrada de recursos.

Do time que foi campeão do Uruguai, no ano passado, Viña era a única opção de fazer uma venda importante. Para se ter uma ideia, o clube vendeu, há pouco, o meia canhoto Satriano, de 18 anos, para a Inter de Milão por 1.5 milhão de dólares sem ao menos ter feito um jogo como profissional. Fez apenas um amistoso no início desse ano e já se mudará para a Itália.

Necessidade e cautela

Justamente por esse status de necessidade, o Nacional não quer que Viña atue nesse sábado pela Supercopa, como despedida. Há um enorme temor que algo aconteça ao lateral e que isso impacte no acordo pela transferência. O Palmeiras, por sua vez, também não quer a presença dele no jogo, mas nenhum dos clubes parece capaz de mudar Viña de ideia. Grato com o clube que o revelou, ele faz questão dessa disputa de título.

Palmeiras e Nacional preparam o anúncio oficial da chegada ainda para essa sexta, conforme afirmou o comando do clube uruguaio. Há também a previsão que ele viaje ao Brasil no próximo domingo e se junte ao Palmeiras na volta aos trabalhos, na segunda-feira, dia 3 de Fevereiro.

Tags:
  • João Gabriel

    João Gabriel

    De família italiana e tipicamente alviverde, é de São Manuel, interior do estado. Se formou em Jornalismo pela USC/Bauru e é pós graduado em jornalismo esportivo pelo IPOG/SP.