Em despedida, Tchê Tchê agradece torcida por apoio e Palmeiras por aposta

Em despedida, Tchê Tchê agradece torcida por apoio e Palmeiras por aposta

O sempre celebrado dia 12 junho, em referência à conquista do título do Campeonato Paulista de 1993, sobre o Corinthians, e coincidentemente ao Dia dos Namorados, foi mais uma vez especial dentro da Academia de Futebol do Palmeiras. Negociado com o Dínamo de Kiev, da Ucrânia, por 4,8 milhões de euros (cerca de R$20 milhões), o volante Tchê Tchê, em sua última entrevista coletiva no Brasil, falou de todo o seu amor pela equipe Alviverde, com quem manteve relacionamento sério por dois anos.

Durante esse namoro, Tchê Tchê e Palmeiras tiveram momentos maravilhosos e outros nem tão maravilhosos assim. Com isso, a relação foi se desgastando e, aos poucos, ambos entenderam que o melhor era cada um seguir o seu caminho. Apesar do rompimento, nada no mundo vai apagar o fruto desse amor, que foi a conquista do Campeonato Brasileiro de 2016, aguardada pela torcida palmeirense há 22 anos e o título, até então, mais importante do volante de apenas 25 anos.

"Saio só levando coisas boas, com o sentimento de felicidade. O Palmeiras apostou em mim quando eu não era nada. Na verdade, sigo sendo o mesmo de Guaianazes. Por isso fiz questão de estar aqui, pois aprendi com os meus pais que temos que ser sempre gratos, e sou grato pela aposta que fizeram. E saio muito contente do Palmeiras por sair pela mesma porta que entrei: a da frente", disse o jogador.

Com viagem marcada para Kiev já no próximo domingo, Tchê Tchê também fez questão de dizer que se no futuro for do interesse do Palmeiras tê-lo de volta não será ele que criará barreiras para que isso aconteça.

"Vai depender deles (os dirigente do Palmeiras). Deixo coisas boas aqui, tenho identificação com o Clube, recebi muitas mensagens da torcida nesses últimos dias pedindo para permanecer, mas, às vezes temos que mudar de ares. Algumas coisas não estavam acontecendo como gostaria, mas sempre me entreguei de corpo e alma. Mesmo com as coisas não saindo como desejava", acrescentou o volante.

Muito querido dentro do elenco, Tchê Tchê foi surpreendido na coletiva com a visita de três grandes amigos que fez dentro do grupo. Edu Dracena, Keno e Thiago Santos acompanharam as palavras de despedida do volante na expectativa de vê-lo chorar. Porém, o atleta segurou as lágrimas e fez questão de agradecer todo o carinho que sempre recebeu da torcida alviverde.

"Agradeço aos torcedores pelo apoio. Sempre fui quem sou dentro de campo. Então, quem gostou de mim aqui, gostou do Danilo de verdade, além do jogador Tchê Tchê. Como falei, hoje tenho carinho pelo Palmeiras e vou acompanhar de longe. Vou tentar assistir aos jogos pela internet e espero que o Palmeiras conquiste coisas boas neste ano", finalizou ele.

  • Bruno Maciel

    Bruno Maciel

    Bruno Maciel é jornalista formado em 2010 pela UniSantos, tem 34 anos, e é apaixonado por futebol desde 26/04/1984 por total influência de Nilton Geraldo Maciel, seu amado e inesquecível pai.