Entre a histeria e a lágrima

Entre a histeria e a lágrima

Estou com frieira. Não sei se você já teve, mas é horrível. Dá vontade de coçar. E descobri a causa, o motivo. Fiquei perplexo. A culpa é da imprensa. Está cientificamente comprovado que ficar estressado causa frieira. Os jornalistas - sempre os jornalistas - são mestres na arte de estressar os outros. O espaço entre os dedos aumentou depois da espionagem. Os jornalistas me fotografaram fazendo xixi no toalete. Fiquei muito nervoso. Até vazou um pouco nas calças.

E outra: tenho intestino preso. Advinha quem é o vilão. Nem preciso dizer, né? Ir ao banheiro virou um parto depois que comecei a ler as coisas que estão escrevendo. Questionam, perguntam, colocam contra a parede. Querem informar os torcedores. Acho que minha intolerância a lactose também tem relação nisso. Assim como a hemorroida que estourou semana passada. Imbecis!

Falando que não escolho bem, que tenho medo demais, que sou pequeno em corpo grande. Tentei dizer que a culpa é da arbitragem, do VAR, da federação. E eles não engoliram. Minha unha tá começando a encravar, a barba vai ficando branca, o comprimido não funciona. Minha esposa briga comigo. Meus amigos, desconhecidos me cobram, inimigos reaparecem. Passei até a ter gases. Sou o rei. E querem que o rei fique nu. Humor é coisa de idiota.

Peguei gripe com a chuva. E choveu por quê? Porque um jornalista passou férias na nuvem e escorregou na mais carregada. Deu piruetas e polichinelos. Urinou lá de cima. Conclusão: temporal. Cada gota de água que cai em nossas cabeças tem causa, razão e circunstância. Fiquem sabendo. Um repórter disse que tomate é fruta. Onde já se viu? Fruta é doce. As más línguas garantem que o tomate tinha açúcar há dois mil anos. E que, ao encontro da boca do primeiro jornalista que pisou na terra, ficou salgado. Até jiló e coentro já foram saborosos.

A última foi a dor de dente. De raiva, depois de uma entrevista, acumulei três semanas sem escovar. Deu placa e cárie. Caíram dois. Fiquei banguela por causa dos jornalistas. Sou lindo, mas me chamam de feio. Eu e minha forma de trabalhar e ver o mundo. O mundo seria melhor sem jornalistas.

Alguns ETs me ligaram dizendo que vão invadir a terra. Que algum profissional da imprensa passou coordenadas secretas. Parece que eles entrarão pelo Acre. Ou estão escondidos no trator enterrado no Canindé. São estrategistas e astutos. Estamos perdidos. Os jornalistas estão contribuindo para o fim da humanidade. Buá.

Tags:
  • Guilherme Cimatti

    Guilherme Cimatti

    Guilherme Cimatti é repórter da equipe esportiva da Rádio Bandeirantes de São Paulo. Já passou por BandNews FM, Estadão, Globo e CBN. Sempre trabalhou em rádios, mas tem uma queda por crônica.