Erga essa cabeça, mete o pé e vai na fé

Erga essa cabeça, mete o pé e vai na fé

( Foto:reprodução/TV)

A torcida pela classificação da seleção brasileira, que veio dos pés do menino Jesus, contrastou com a compaixão que muitos torcedores do Palmeiras sentiram ao ver o “guerreiro” Gustavo Gómez, aos prantos, ao final da partida, em razão da penalidade desperdiçada.

Gómez novamente foi um dos melhores em campo. Foi gigante, principalmente após a expulsão de seu companheiro de zaga Balbuena, e segurou o ataque brasileiro, junto com seus companheiros, por mais de 90 minutos. Jogou da forma como está habituado: sério e com personalidade.

Por mais patriota que um torcedor Palmeiras seja, é impossível não sentir um pouquinho da dor que acometeu o camisa 15 da seleção paraguaia e do Verdão. Com 100% de aproveitamento em cobrança de pênaltis pelo clube alviverde, ele sabia que converter a sua cobrança seria um passo decisivo para a classificação.

Mas, errar faz parte de qualquer profissão e todos estamos sujeitos, por melhor que seja a fase e a jornada. Sentir a dor pelo erro, também faz parte. Chorar, muitas vezes não é demonstração de fraqueza, é a maior prova do quão forte você é e o quanto você ama o que faz.

Assim como torcemos pelo menino Jesus, que diga-se de passagem, teve muita personalidade ao assumir a responsabilidade e bater o pênalti da classificação, torcemos e nos solidarizaríamos por você, Gómez.

Que venha o segundo semestre, e que, com a camisa alviverde as suas lágrimas sejam novamente de alegria.