Especial BR-72 - deu tudo errado: São Paulo 2 x 0 Palmeiras

Especial BR-72 - deu tudo errado: São Paulo 2 x 0 Palmeiras

Jogo 26

https://youtu.be/jbF3G_kmqXc

Começava a segunda fase do BR-72. Dos 26 clubes iniciais sobravam 16. O Palmeiras teria que liderar o grupo formado por Coritiba, São Paulo e América do Rio para seguir adiante, até a semifinal, em quadrangular em um turno só.

Por ter a melhor campanha na fase inicial, o Palmeiras faria mais jogos em casa. Mas quem determinava os mandos era a CBD. Para o primeiro Choque-rei da fase, a entidade escolheu o Morumbi. Campeão paulista pelo São Paulo em 1971, Brandão acatou o local. Mas não gostou: "fica tudo mais tranquilo para eles. O São Paulo se concentra no próprio estádio. Nós temos que chegar de ônibus ao Morumbi. Eles têm essa vantagem".

Mesmo suspenso, César Maluco estava confiante. Pediu aos repórteres que mandassem avisar o palpite dele: "pode anotar. Vai dar Verdão na cabeça".

Não deu. São Paulo 2 x 0. Apenas a quinta derrota do time em 1972. Mas numa péssima hora. O melhor ataque do BR-72 superou a melhor defesa do torneio.

F7CC7799-60C7-45A7-A55C-FB8221FF527C

Brandão optou pela volta de Ronaldo à ponta-direita. Edu vinha muito bem, mas não gozava de total confiança do treinador. Ronaldo perdera a titularidade apenas por ter ido a Minas ao enterro da mãe.

O Palmeiras começou melhor e teve ótima chance com Leivinha no primeiro minuto, mas o camisa 8 cabeceou fora depois da saída precipitada de Sérgio. Leiva também armou o melhor lance de ataque alviverde, aos 22, quando foi ao fundo pela direita e bateu pra trás. Corta-luz duplo de Ademir e Madurga deixou a bola para Nei bater forte e Forlán desviar, sobre a linha.

O craque uruguaio e artilheiro do BR-72 Pedro Rocha era o mais perigoso são-paulino. Mas na primeira etapa pouco pôde contra Ademir, enquanto Dudu tomava conta de Zé Carlos. No segundo tempo, Nei fez a melhor jogada do Choque-Rei. Depois de driblar espetacularmente Arlindo, bateu fraco nas mãos de Sérgio, aos 5. O excelente ponta-esquerda vinha perdendo muitos gols.

O Palmeiras não se acharia mais depois. Madurga não teve moleza contra Edson Cegonha (volante que seria campeão brasileiro pelo Palmeiras em 1973). O jogo cheirava a mais um empate sem gols em 1972 até o primeiro Choque-Rei ter um golaço de Roberto Dias. O craque tricolor mandou um balaço de falta (inexistente de Ronaldo em Paraná) da intermediária, a quase 40 metros. O problema para Leão é que o goleiro mandou abrir a barreira. Não sem razão, entendia que ela servia como referência para o chute do zagueiro rival. Não houve problema para Dias. O tiro forte e rasteiro venceu no canto direito o goleiro alviverde, que pulou tarde, aos 21 do segundo tempo.

O Palmeiras se lançou à frente, mas abusou do chuveirinho. Pio não entrou bem no lugar de Nei. Ronaldo esteve apagado na ponta-direita. O São Paulo foi mais feliz no contragolpe. Aos 41, Rocha gingou bonito para cima de Ademir e lançou Everaldo, que desviou para Paraná cruzar a bola na cabeça de Terto. 2 a 0 São Paulo. Eram quatro tricolores contra apenas dois palmeirenses. O melhor time do BR-72 tinha entrado em parafuso.

O Palmeiras teria que vencer América e Coritiba e também torcer contra o São Paulo. O técnico Oswaldo Brandão ainda acreditava. "Fomos os melhores da primeira fase. Ainda temos mais dois jogos. É só fazer o que sabemos. Não podemos nos desesperar como fizemos no clássico. Tomamos um gol e tentamos empatar de qualquer jeito e acabamos levando o segundo gol".

José Poy, mítico goleiro tricolor e supervisor do clube que virou treinador desde a demissão de Vail Mota, mantinha a humildade. "Ganhamos de uma grande equipe, mas ainda não ganhamos nada. Claro que agora só dependemos de nós nos próximos dois jogos para chegar até a semifinal".

SÃO PAULO 2 x 0 PALMEIRAS Campeonato Brasileiro/Segunda fase
Domingo, 10/dezembro (tarde)
Estádio: Morumbi
Juiz: Arnaldo César Coelho (RJ)
Renda: Cr$ 40 314
Público: 42 010
PALMEIRAS: Leão; Eurico, Luís Pereira, Alfredo e Zeca; Dudu e Ademir da Guia; Ronaldo, Madurga (Fedato), Leivinha e Nei (Pio)
Técnico: Oswaldo Brandão
Gols: Roberto Dias 21 e Terto 41 do 2º

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.