Fábio Júnior não tinha mais negócio: a Roma fechara a contratação dele por 15 milhões de dólares. O Palmeiras chegara a oferecer bom dinheiro ao Cruzeiro e mais os atacantes Viola (emprestado ao Santos) e Euller (que voltara de empréstimo). Não rolou.

(Ainda bem. Euller ficou e foi essencial em 1999. Viola não voltou. E, quando veio ao Palmeiras, em 2001, Fábio Júnior não justificou).

Sem o centroavante do Cruzeiro, a Parmalat acelerava para acertar com o zagueiro Rivarola (que deixara o Grêmio), com o volante César Sampaio (Yokohama Flugels) e Paulo Rink (Bayer Leverkusen).

Deixe um Comentário