Especial Robertão-69: faltavam quatro vitórias, Coritiba 1 x 3 Palmeiras

Especial Robertão-69: faltavam quatro vitórias, Coritiba 1 x 3 Palmeiras

Rubens Minelli acreditava na vitória no Couto Pereira. Mesmo sem o artilheiro histórico do Palmeiras (César Maluco, lesionado no tornozelo) e o ponta-esquerda Serginho. O treinador deixou claro o que era sabido é temido durante toda a semana depois da derrota em casa para o São Paulo: “não podemos perder mais no campeonato. E podemos ganhar do Coritiba, pelo que vi ao vivo e em videoteipe deles. Eles têm um bom conjunto, mas não têm grandes valores individuais”.

Era fato. Numa época em que se podia falar abertamente assim de um rival. Como era necessário o Palmeiras voltar com vitória do Paraná. A manchete do ESTADÃO no domingo do jogo era explícita: “Palmeiras joga a última esperança”.

E ela foi verde. O Verdão foi mais time o jogo todo. Depois de perder algumas chances e parar nas mãos do goleiro Joel Mendes, Edu fez de bico 1 a 0, aos 29 minutos. Pio fez mais uma boa jogada pela esquerda e cruzou para Ademir fazer o corta-luz e justiça ao jogo.

Oromar empatou para o Coritiba de Francisco Sarno, ex-zagueiro alviverde. Aproveitando uma falha de Nelson, o Coxa fez 1 a 1, aos 43.

Na segunda etapa, Minelli manteve o 4-4-2 que deu certo em Curitiba. Pio recuou para dar um pé na armação para Jaime e Ademir, com Dudu limpando a cabeça da área. Edu e Cardoso eram os homens da frente, com Ademir liberado para chegar um pouco mais à frente.

Assim o Palmeiras seguiu melhor e desempatou aos 12 com o melhor em campo. O Divino fez todo o lance que acabou desviando em Nilo. No final, aos 42, o meia Madureira recebeu de Ademir, passou por dois, e ampliou.

Com a derrota do Grêmio para o Bahia em Salvador, aumentavam as chances de o Palmeiras chegar ao quadrangular final. Mas ainda seria necessário ganhar todos os jogos que faltavam. O menos complicado é que quase todos eram confrontos diretos contra candidatos às duas vagas do grupo para a fase decisiva. As contas ficavam menos complicadas. O Palmeiras só dependia dele. E de 100% de aproveitamento depois de péssimo início de Robertão...

Minelli saiu satisfeito com o resultado no Paraná e com a derrota do Grêmio mais do que com a atuação palmeirense: “não jogamos tudo que podemos e eles também não fizeram o que são capazes”.

O prêmio pela vitória foi de 400 mil cruzeiros novos. Mas ainda faltavam mais quatro vitórias nos quatro clássicos que restavam na primeira fase do Robertão.

CORITIBA 1 x 3 PALMEIRAS
Torneio Roberto Gomes Pedrosa - 1ª fase
Domingo, 9/novembro (tarde)
Belfort Duarte
Curitiba (PR)
Juiz: Armando Marques
Renda: NCr$ 73 950
PALMEIRAS: Leão; Eurico, Baldochi, Nelson e Zeca; Dudu, Jaime e Ademir da Guia; Edu, Cardoso (Madureira) e Pio. Técnico: Rubens Minelli
Gols: Edu 29 e Oromar 43 do 1º; Ademir da Guia 12 e Madureira 42 do 2º

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.