Especial Robertão-69: só milagre salvaria, Palmeiras 1 x 2 São Paulo

Especial Robertão-69: só milagre salvaria, Palmeiras 1 x 2 São Paulo

Mais uma vez parecia que o Palmeiras embalaria. Ainda mais no Palestra com os novos refletores acesos - o estádio não tinha iluminação desde a inauguração do Jardim Suspenso, em 1964. O time de Rubens Minelli até fez bom jogo. Criou mais oportunidades no Choque-Rei. Talvez não merecesse vencer, porque o goleiro tricolor Picasso (campeão pelo Verdão em 1963) não merecia perder. Mas a derrota foi castigo muito pesado. Ainda mais para o goleiraço que falhou no lance letal, o jovem Leão.

Serginho seguia fora lesionado. Minelli armou um time com Edu pela ponta-esquerda, com César e Cardoso se mexendo bem na frente. Jaime começou encostando neles, mas depois recuou para o usual 4-3-3, obrigando Zé Roberto (e depois Paraná) a fazer o mesmo, fazendo o trio com Edson Cegonha (reserva de Dudu na Segunda Academia) e Gerson.

O São Paulo foi mais feliz e abriu o placar aos 7, quando Paraná passou por Eurico e meteu na cabeça de Babá. O Palmeiras pressionou, mandou bola na trave, mas só empatou no reinício de jogo. Edu bateu escanteio escorado por Jaime. A pressão seguiu. Mas quem desempatou foi Roberto Dias. O craque tricolor fez lançamento longo para Babá. Leão tentou se antecipar e se atrapalhou, e a bola entrou direto.

“A culpa é toda minha. Poderia falar que bateu no morrinho artilheiro. Mas não foi. Falhei”.

Treinador, cartolas e até o pai o consolaram. Mas a falha e a derrota praticamente eliminavam o Palmeiras na disputa pelo bicampeonato do Robertão.

Cartola Giménez López: “precisamos ganhar os próximos cinco jogos e ainda torcer contra os adversários. Está ainda mais difícil. Mas não impossível”.

Eurico: “melhor esquecer este jogo... Vamos tentar ganhar todos os próximos”.

César: “Deixamos o Gérson jogar”. Lesionado no tornozelo direito, era dúvida para os próximos jogos.

Rubens Minelli tentava reerguer o astral da tropa. Mas ele mesmo estava desapontado. Na preparação para o clássico, estudara bastante o São Paulo, com um recurso não muito comum à época: o videoteipe. Ele assistira a São Paulo x Grêmio com o elenco. Apontando virtudes e defeitos do rival.

Mas não deu certo. Era preciso muito mais. E ainda calar as cornetas que queriam mudança de diretoria no clube. Ferrucio Sandoli e Giménez López brigavam nos bastidores. A bola não entrava. Parecia impossível mesmo a classificação para o quadrangular final do Robertão-69.

PALMEIRAS 1 X 2 SÃO PAULO
Torneio Roberto Gomes Pedrosa - 1ª fase
Quarta-feira, 5/novembro (noite)
Palestra Italia
Juiz: Armando Marques
Renda: NCr$ 55 770
Público: 9 344
PALMEIRAS: Leão; Eurico, Baldochi, Nelson e Zeca; Dudu, Jaime e Ademir da Guia; César (Madureira), Cardoso (Pio) e Edu
Técnico: Rubens Minelli
Gols: Babá 7 do 1º; Jaime 1 e Roberto Dias 23 do 2º

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.