Imprensabol

Eu me arrisco a dizer que em mais cinco rodadas os mesmos de sempre vão dizer que a torcida do Palmeiras já canta vitória pela conquista do Brasileiro que só gente da imprensa já dá como “conquistado” depois de CINCO, repito, 5 rodadas. Não meses.

A estratégia é mais velha do que jogar pra frente. É mais antiga que a Taça Brasil de 1960. Foi usada no Robertão de 1967 e depois na Taça Brasil de 1967. No Robertão de 1969 não pôde ser publicada porque o Palmeiras perdeu 4 dos 5 primeiros jogos.

No Brasileiro de 1972-73 a Segunda Academia ficou invicta 26 jogos. E também era criticada. A Via Láctea bicampeã em 1993-94 era questionada mais pela Parmalat do que pela bola. Como o Cucabol da Crefisa em 2016 foi mais criticado do que merecia, e menos elogiado quando deveria. Sem falar do ultrapassado Felipão ultrapassando rivais invicto em 2018.

Em 2019 é cedo pra tudo. Até pra a zica dar certo.

Toda a opinião é válida e respeitável. Menos as jogadas ensaiadas mais velhas do que chutar palpite pra frente. Ainda mais para um time que há duas rodadas devia futebol, era antiquado, não jogava bem, e não sabia decidir.

Por que só o Palmeiras é “campeão” (SIC) depois de cinco, repito, 5 rodadas?

Ainda mais o palmeirense que é desconfiado do time, muitas vezes com razão. E, cada vez mais, da imprensa. Com e sem razão.

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.