Moisés agradece o Palmeiras e lamenta saída discreta do clube: 'Poderia ter sido diferente'

Moisés agradece o Palmeiras e lamenta saída discreta do clube: 'Poderia ter sido diferente'

Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Um dos grandes nomes do título brasileiro do Palmeiras que colocou um ponto final à uma espera de 22 anos, o meia Moisés participou de uma Live no instagram do Nosso Palestra nesta manhã de quarta-feira, 8.

Em quarentena na China, o meia está separado de sua família e fazendo o seu trabalho físico de casa, esperando o campeonato chinês começar.

Moisés relembrou os seus quase quatro anos defendendo a camisa do Verdão, lamentou as duas graves lesões que o tiraram de combate por bastante tempo, e também lamentou a forma como saiu do clube.

Por tudo o que fez com o P no peito, ele merecia uma saída mais digna, que acabou com apenas um agradecimento em vídeo via redes sociais do clube.

O ex-camisa 10 acertou sua saída após desperdiçar o pênalti que eliminou o Palmeiras da Copa do Brasil de 2019, diante do Internacional. Dois dias depois do jogo, Moisés estava de malas prontas para defender o Shandong Luneng-CHI.

Além de assumir toda a sua identidade com o Palmeiras, Moisés disse que sempre que pode assiste ao jogos do Verdão. O profeta está gostando do trabalho de Luxemburgo e elogiou bastante Gabriel Menino e Patrick de Paula.

Por fim, Moisés falou sobre a dificuldade dos meias do Palmeiras se encaixarem no time titular de Luxa. Sobre o seu amigo Dudu jogar na posição, Moisés resumiu bem: 'Joga a camisa e ele escolhe onde quer jogar. Sou fã do Dudu. Joga demais!'

Moisés fez 138 partidas pelo Palmeiras, faturou o Bi do Brasileirão, marcou 12 gols na sua passagem e rendeu mais de 20 milhões de reais aos cofres alviverdes com sua venda.

"Fico feliz de ter dado um retorno técnico, mas também financeiro. Agradeço todos os que me apoiaram. Fazer parte daquele grupo que conquistou o Brasileiro de 2016 após 22 anos não tem preço!', finalizou o Profeta.

O gol mais bonito de sua história no clube? Ele mesmo escolhe:

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!