Mosaico: sorte no jogo é nossa sorte no amor ao Palmeiras

Mosaico: sorte no jogo é nossa sorte no amor ao Palmeiras

Superstição no futebol dá um azar danado. Toc, toc, toc, três batidas na perna do Darinta! Mas eu adoro atacar desde 2014 pro Gol Sul l, no segundo tempo. Desde 1993 eu prefiro meias brancas nas decisões. Desde 1982 minha mãe tinha que ficar passando na frente da TV para o Palmeiras fazer um gol. Enfim, eu não tenho superstição. Mas torço para que os outros e os nossos tenham.

Mosaicos são lindos desde Bizâncio. E é mesmo bizantina a discussão atual sobre ter ou não ter hoje contra o Cruzeiro. Que dá azar. É cantar vitória antes. Gol antes.

Depende do mosaico. Da mensagem. Já vi bandeira do Japão antes da hora em outro estádio. Não rolou. Faixa de campeão ou alusão ao título, mesma coisa. Mas se for para nos defender sem atacar, fica lindo. Se for para contar história, melhor ainda. E se for aquele 3D da Mancha pro Prass antes do tri da Copa do Brasil com defesa dele e gol dele, sem palavras. Mil Palmeiras.

Enfim, pode fazer mosaico. Não dá azar. Deve fazer as faixas tricolores no anel inferior do Allianz Parque. 1 O que dá é foguetório proibido dentro do estádio com a bola rolando - aí toma gol no acréscimo como foi contra o Coritiba. O que pode demais é corredor alviverde com os sinalizadores que mostraram o caminho para aquela vitória contra o Santos em 2015.

Aí é sorte no jogo por termos sorte no nosso amor com o Palmeiras.

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.