Na Libertadores, vencer é tão importante quanto encarnar o espírito da competição

Na Libertadores, vencer é tão importante quanto encarnar o espírito da competição

Obviamente, 80 minutos de superioridade numérica foi fator determinante para que, na Colômbia, o Palmeiras conquistasse a larga vitória por 3 a 0 sobre o Junior Barraquilla. Evidentemente, Bruno Henrique merece elogios pela atuação e pelos dois gols marcados. Ninguém precisa ler uma análise para entender o óbvio, mas certamente vale a pena ler um texto cujo objetivo é mostrar um oculto fator também determinante para a vitória.

1 – A consciência tática de Willian foi fundamental durante a partida

Alguns estranharam o posicionamento de Willian no início da partida, aparecendo quase sempre do lado direito do ataque, já que usualmente atua do lado oposto. Entretanto, no decorrer do jogo, mais do que aparecer na esquerda, o mapa de calor do camisa 29 mostra quão versátil ele foi, jogando até mesmo no miolo do sistema defensivo quando foi necessário auxiliar.

2 – O espírito da competição em Willian foi fundamental para o 2º gol do Palmeiras

O placar de 1 a 0 sobre o Junior Barranquilla era, sim, perigoso. Ainda mais com o final do primeiro tempo em que a equipe colombiana rendeu muito mais do que o Palmeiras, mesmo com um jogador a menos. Diante disso, a segunda etapa exigiria uma postura diferente do time de Roger Machado. Se acomodar com o resultado não poderia ser opção, assim como Willian não se acomodou na jogada do gol que ampliou a vantagem no placar.

Embora Borja tenha balançado as redes, a jogada tem início em uma disparada de Willian pela direita, na qual ele claramente sofre uma penalidade máxima não marcada. A cômoda sensação da injustiça de não ouvir o apito marcando a infração poderia fazê-lo ficar no chão reclamando, o que não aconteceu. Logo após ser derrubado, ele não titubeia em levantar, recuperar a bola e, a partir dali, iniciar a jogada responsável por matar o jogo.

Willian combinou os dois ingredientes necessários para vencer a Libertadores

Na Copa Libertadores da América, assim como em qualquer torneio, vitórias são fundamentais. Mas elas não culminam em título se a equipe não entender e encarnar o espírito da competição. É preciso se desdobrar em campo, independentemente da situação do placar. É preciso esquecer as manhas e surpreender o adversário sempre que possível. É preciso unir tática e determinação, assim como Willian uniu e foi fundamental na única vitória de um brasileiro até agora dentro da rodada de abertura da Copa Libertadores da América 2018.

  • Rodrigo Fragoso

    Rodrigo Fragoso

    Formado em Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero e especializado em gestão, direito e marketing esportivo pela FIFA/CIES/FGV.