No túmulo do futebol, é proibido comemorar!

No túmulo do futebol, é proibido comemorar!

São Paulo se transformou nos últimos anos no túmulo do futebol brasileiro. O estado que não permite mais duas torcidas dentro de um estádio em dia de clássico, que proíbe bandeira, sinalizador e cara pintada, agora também está proibindo até comemoração de gol.

Em um jogo de torcida única em que a sua torcida não está presente, querem que o autor de um gol comemore como? Pedindo desculpas aos torcedores presentes? Ou pegando um táxi e indo até a algum bar de sua torcida para poder comemorar?

Foi um absurdo completo o cartão amarelo tomado por Lucas Lima no clássico de quinta-feira, no Pacaembu. Como também foi para o são-paulino Cueva em 2016, quando também foi advertido após marcar em Itaquera.

Mas mais absurdo ainda foram os cartões distribuídos ontem no Allianz Parque para Moisés e Luan. A desculpa do árbitro Péricles Bassols foi de que eles retardaram muito o reinício do jogo. Ué e os acréscimos existem pra quê? Na Copa do Mundo vimos diversos gols que tiveram lindas e demoradas comemorações. E não vimos nada de cartão.

Alguém precisa fazer algo. Não podemos mais aceitar esse tipo de situação. Estão matando o nosso futebol. Já não basta perder os nossos craques cedo para a Europa, agora estão deixando o jogo por aqui cada vez mais robotizado, sem sal, sem alegria.

"Comemorei porque é um jogo importante para mim, importante para o nosso time, é clássico. No gol, você vibra. Ele me deu cartão, mas eu vou comemorar onde? É torcida única. Só se eu sair do estádio", afirmou Lucas na saída para o intervalo diante do Santos.

Alguém precisa vir a público me explicar como se incita a violência em um jogo de uma única torcida. Até por que nos anos 90 e 2000 tivemos grandes massacres contra Romário, Riquelme Paulo Nunes e cia né?

Sigamos tentando sobreviver nesse calvário de proibições. Até o dia que até fazer gol vai ser proibido. Aí fecha o caixão que o menino futebol morreu!

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 27 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!