O meu presente de aniversário para o Palmeiras

O meu presente de aniversário para o Palmeiras

Foto: Arquivo Pessoal

Palmeiras,

Eu queria te dar meu pai pedindo linha atacante de raça. Queria meu pai xingando o Deyverson, chamando Felipão de teimoso. Queria meu pai por você gritando. Queria vocês dois juntos pelo alviverde inteiro. Não é assim desde 2007. Mais de década. Desde setembro daquele ano, fiquei sozinho contigo. Só com você.

Queria te dar o meu avô. O pai do meu pai. O meu pai duas vezes morreu em 2013. Que era fã de Luan. Era Assunção. Era Betinho. E era um monte de jogadores de qualidade média e vontade alta. Era mais Lúcio do que os melhores do mundo. Era mais Alceu do que outros bem mais eficientes e talentosos. Mas era você. Gostava de sofrer como muitas vezes você gosta. Sua imagem e semelhança. Queria que ele tivesse ido ao casamento do neto Danilo, ontem.

Queria te dar a risada do meu pai quando você jogou contra o Sport, no antigo Palestra, com gol do Martinez. O abraço dele em tanta gente que não cabia naquele abraço. Queria te dar o All Star branco que ele usou na tarde daquele domingo. E é minha maior recordação dele. E sua. Você é aquele par de tênis velho, guardado no meu armário.

Queria te dar o Neymar, o Coutinho, o Cristiano. Queria te dar o Messi, o De Bruyne, o Mbappe. Queria te dar os craques que pudessem fazer a alegria deles. O sorriso deles. O berro deles por você. Ainda que as vozes deles tenham se calado nessa vida que passa tão rápido. E não volta. A vida é um fiapo de voz que acaba cedo. Feliz quem se faz escutar. Ouço eles sempre que a rede balança.

Queria te dar 93 de novo. 99 de novo. 2016 de novo. Queria te dar a categoria do Evair, a raça do Edmundo, o chute do Roberto. Queria te dar a canhota do Alex, a defesa do Marcos, o drible do Paulo Nunes. O passe do Djalminha e do Ademir. Queria te dar tudo que você me deu. E só posso te dar o meu amor. E falar do amor por eles. O que eles sentiam pelo antigo Parque.

As pessoas vão ficando. Em algum cantinho, em alguns momentos. O alviverde também. Meu presente para você, Palmeiras, é esse. Quem sempre estará presente. Cantando e vibrando dentro de mim.

Tags:
  • Guilherme Cimatti

    Guilherme Cimatti

    Guilherme Cimatti é repórter da equipe esportiva da Rádio Bandeirantes de São Paulo. Já passou por BandNews FM, Estadão, Globo e CBN. Sempre trabalhou em rádios, mas tem uma queda por crônica.