O Palmeiras é do palmeirense como o céu é do Divino

O Palmeiras é do palmeirense como o céu é do Divino

O Palmeiras faz a sua melhor campanha nos pontos corridos. Melhor do que no enea e do que no deca. Mas como o líder tem jogado demais e ganhado quase todos os pontos desde a Copa América onde paramos de jogar bola, não deve dar caneco. Nem motivo para derrubar a casa.

Mas também não tem como encher nosso lar com bolsos tão vazios em todos os campos e cantos. Menos ainda cobrando o preço médio desse tíquete que ajuda a montar e manter ótimos elencos. Mas não ajuda a formar novos torcedores. Ou deformar os que já são nossos.

A política de preços do Palmeiras é mais política que não tem preço. O Palmeiras tem valor que não tem preço. Mas nossas contas não fecham assim. Por mais que custe caro abrir nossos portões, não é passando esse preço salgado que vamos abrir nossas portas já trancadas pela operação que desocupa o entorno do Allianz Parque. Desculpa que não bate bem.

O Palmeiras está elitizando demais o Allianz Parque. Na prática e na teoria. Afastando a nossa gente. Afastando o Palmeiras do palmeirense. Com isso nos deixando mais vazios por fora e por dentro.

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.