O que faltou

ESCREVE FERNANDO OYAMA

Faltou tanta coisa que parece não ter faltado nada.
Faltou tanta coisa, até perna para correr atrás deles, ultimamente em mata-mata parece que sempre falta algo.
Talvez, tenha sido nossa torcida em 2012 que torcia tanto por uma falta de Marcos Assunção que até hoje ainda respinga essa falta.
Faltaram seis minutos lá.
Faltou uma atenção a mais no meio-campo antes da bola perdida seguida de gol.
E aí depois dele faltou tempo, pernas, gols e VAR tomar naquele canto, seu juiz...
Mas, até o VAR não teve culpa, até ele faltou.
Entre tantas faltas, não faltou grito da torcida, disposição de Dudu correndo por ele e mais 45 mil dentro do estádio e milhões a frente da TV.
Não faltou coragem, talvez tenha faltado ousadia, mas não faltou entrega, faltou mais um tempo, como os últimos 45 minutos que tivemos.
Passamos uma semana acreditando que dava, porque daria.
E antes de terminar não farei o trocadilho de será o Ben, ben...
Bendito seja o nosso Palmeiras.
Que o amor nos uniu.
Faltou gol mas nunca faltará um palmeirense para acreditar até o fim.
Entre tantas “faltas” ainda faltam sete jogos para o fim do Brasileiro.
Seremos Palmeiras.
Não apenas por uma noite, mas porque tornamos o Palmeiras nossa vida, e não falta mais nada.
Palmeiras, minha vida é você!

ESCREVEU FERNANDO OYAMA

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.