O tempo dirá! Santos 2 x 0 Palmeiras

O tempo dirá! Santos 2 x 0 Palmeiras

Foto: Ivan Sorti/Santos FC

O Santos estava mais desfalcado na Vila Belmiro. Tem menos elenco do que o campeão do Brasil de 2018 que dificilmente repetirá a campanha notável - ainda que tenha melhor desempenho agora do que ano passado. Mas ainda assim foi melhor o clássico todo. Fazendo dois gols em três minutos contra um Palmeiras que desde o ano passado sofre demais nessas bolhas de gols sofridos em seguida.

Gustavo Henrique ganhou por cima de Vítor Hugo aos 13 e fez 1 a 0, aproveitando belo passe do incansável Sánchez na falta l cruzada. Aos 16, o buraco entre os volantes verdes e os zagueiros fez uma bola espirrada ser rebatida por Jailson para Marinho ampliar em aparente impedimento. Lance que só o VAR validou corretamente na boa arbitragem.

Muito melhor do que o Palmeiras que voltaria ainda pior e sem nenhuma chance na segunda etapa. Ainda mais com a justa expulsão de Willian. Em lance tão inusitado quanto estranho para mais uma atuação pálida, perdida, sem luz e brio do Palmeiras.

Fora Dudu, que tudo tentava acertar mas pouco arrumou o time, parecia uma equipe que jogava amistoso de pós-temporada. Pouco criava, pouco marcava, e errava tudo que o Santos acertava. E queria jogo o dono da casa e do campo.

Sasha abrindo espaço e ajudando atras. Sánchez, Pituca e Jean Mota se multiplicando no 4-3-3 propost. O garoto Tailson jogando como se fosse gente grande substituindo o pequeno grande Soteldo. Era apenas a segunda partida dele como profissional. E parecia ser ele contra 11 amadores adversários que não parecem ser quase o mesmo elenco de 2018.

Mas com Carlos Eduardo para entrar com a lesão de Luís Adriano... Aí complica. Como se atrapalha o Palmeiras no BR-19 cada vez mais distante desse jeito. Mas ainda possível - quem diria? - para o Santos contra o grande favorito Flamengo.

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.