Oséas sobre Copa do Brasil 98: “Não sei nem como a bola entrou”

Oséas sobre Copa do Brasil 98: “Não sei nem como a bola entrou”

O dia 30 de maio de 1998 marcou a primeira conquista do Palmeiras na Copa do Brasil. Hoje o clube é tricampeão. Venceu também as edições de 2012 e 2015.

A conquista de 98, entretanto, marcou também o início da caminhada alviverde rumo ao título da Libertadores do ano seguinte. A Copa do Brasil garantiu a vaga da equipe na competição continental.

Luiz Felipe Scolari estava perto de completar um ano no comando do time e começava ali a se consagrar como um dos mais vitoriosos treinadores da história do clube.

História essa que foi possível graças ao oportunismo de Oséas. O gol emblemático e que deu o título da Copa do Brasil ao Verdão ocorreu no minuto final do segundo jogo contra o Cruzeiro.

O Palmeiras vencia por um a zero e precisava do segundo gol para ficar com a taça. Foi aí que apareceu a estrela do atacante baiano.

“Felipão sempre cobrava ‘acredita que o goleiro vai falhar’. E foi numa dessas que eu fui feliz, num chute inexplicável. Não sei nem como essa bola entrou”, confessa vinte anos depois do feito.

Morando na Bahia e administrando os bens que construiu ao longo da carreira, Oséas afirma, com a certeza de quem sabia que o destino lhe reservava um momento inesquecível, que os atletas acreditavam no título mesmo após a derrota na partida de ida no Mineirão:

“Quando terminou o primeiro jogo, já no vestiário, a gente estava tão convicto que seria campeão, que não pensava outra forma desse título não ser nosso”, lembra.

Curiosamente, os vinte anos da conquista coincide com um dia de Palmeiras x Cruzeiro. As equipes se enfrentam no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro.

Na Copa do Brasil foram quatro enfrentamentos entre os Palestras: o Cruzeiro venceu a final de 96 e eliminou o Palmeiras em 2017.

O Verdão, além de levar a taça em 98, ainda tirou o Cruzeiro da disputa em 2015, ano do tricampeonato.

  • Frank Fortes

    Frank Fortes

    Formado em Jornalismo pela Metodista, iniciou a carreira na Rádio ABC, passou pelo Terra e Rádio Bandeirantes, como produtor, repórter, editor, comentarista e apresentador em Esporte e Geral