Palmeiras busca classificação para desempatar duelo com a Ponte no Allianz Parque

Palmeiras busca classificação para desempatar duelo com a Ponte no Allianz Parque

Foto: Cesar Greco/ Ag. Palmeiras

O Palmeiras recebe a Ponte Preta neste domingo no Allianz Parque pela semifinal do Paulistão 2020. O time de Vanderlei Luxemburgo precisa de uma simples vitória para avançar para a grande decisão do Estadual. O empate leva a decisão para os pênaltis. O retrospecto do Verdão diante do time de Campinas no Allianz é muito equilibrado.

De seis partidas realizadas na nova casa do Verdão, foram duas vitórias para cada lado e dois empates. Uma das vitórias alviverdes inclusive foi em um duelo de semifinal de Paulista. Apesar do triunfo por 1 a 0, o Palmeiras de Eduardo Baptista foi eliminado da competição por ter perdido o primeiro jogo no interior por 3 a 0.

Neste domingo, o alviverde imponente tem a grande chance de desempatar esses números e quem sabe vingar aquela dura eliminação de 2017.

Aquele foi o segundo confronto de mata mata em que os dois times se enfrentaram. O primeiro foi a grande final do Paulistão de 2008, quando o Verdão de Luxa venceu as duas partidas e conquistou a sua última taça do torneio organizado pela FPF.

Atualmente, o Verdão ostenta uma série invicta de seis duelos com a Ponte no retrospecto geral: cinco vitórias e um empate. O último triunfo campineiro aconteceu em 2017, justamente na semifinal do Paulista.

Depois disso, foram dois jogos pelo Brasileiro de 2017, com duas vitórias alviverdes, e quatro jogos pelo Paulista, com três vitórias alviverdes e um empate.

Ao todo, Palmeiras e Ponte Preta já se enfrentaram em 132 ocasiões ao longo da história, e a vantagem é palestrina: 67 vitórias, 32 empates e 33 derrotas, com 215 gols marcados contra 138 gols sofridos.

Relembre os duelos entre Palmeiras x Ponte Preta no Allianz Parque:

Paulista 2015

Brasileirão 2015

Brasileirão 2016

Amistoso 2017

Paulista 2017

Paulista 2019

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!