Palmeiras é a luz do Nickolas

Palmeiras é a luz do Nickolas

  • Mãe, como é o Corinthians?
  • É o nosso maior adversário, filho. Não é só por a gente ter mais vitórias e títulos importantes contra eles. Não sei se é pelos 101 anos de jogos... É difícil explicar o que eles são.
  • Mas mãe, você consegue sempre me dizer tudo que acontece e eu não consigo ver...
  • Nickolas, você enxerga mais do que muita gente que eu conheço. Ainda mais no futebol. É só ver na TV que tem gente que parece ver o jogo com o fígado ou com o cotovelo... Mas é difícil explicar certas coisas para quem não é. É como você tentar descrever o que é o Palmeiras. Não é impossível?
  • Não, mãe. Palmeiras é essa luz que eu não vejo mas eu sinto que tem. É essa energia que parece que deixa tudo meio ligado. É esse barulho que eu ouvi no gol do Deyverson e no jogo todo.
  • Até no silêncio você sabe o que tá acontecendo, né, filho?
  • Sim, mãe. Eu sei quando o outro time ataca. O ar fica diferente. Parece que tem um peso nas costas. Mas hoje não senti, não. Eles não atacaram o Verdão?
  • Hoje foi diferente, filho. Eles não vieram pra cima. Ou nós não deixamos. Eles só nos atacaram numa confusão fora de campo.
  • O que aconteceu?
  • O Deyverson - que eu não consigo explicar direito para você o que ele é de verdade - deu uma piscadinha pro banco deles quando saiu e começou a discussão.
  • Puxa. Eu adoraria ver tudo na vida. Mas tem gente que vê e não se enxerga, mãe.
  • Filho, podemos ir embora?
  • Só mais um pouco, mãe. Eu quero ficar mais um pouco aqui no estádio. Contra o Corinthians é diferente, mãe.
  • Por que, Nickolas?
  • Não sei falar. Mas eu sinto isso só de ouvir a torcida. Só de você me falar os lances. Eu não quero ir embora, mãe. Eu quero ficar pra sempre aqui.
  • Filho, a gente não pode.
  • Mãe, a gente pode. Tem gente que acha que eu não vi nada do jogo. Mas eu sei que vi muito mais do que aconteceu. O Palmeiras me faz ver o mundo mais legal. E é ainda mais da hora quando tem um time como o deles.
  • É isso, filho. Rivalidade é a palavra.
  • Eu acho que eu entendi o que é isso. Mas eu também não vou pedir pra você explicar, mãe. Não tem como falar e nem ver. É só sentir. E eu vou sentir isso pra sempre.
  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.