Palmeiras e Boca se reencontram muito diferentes da fase de grupos; veja o que mudou

Palmeiras e Boca se reencontram muito diferentes da fase de grupos; veja o que mudou

Foto: César Greco/ Ag. Palmeiras/ Divulgação

O Palmeiras reencontra nesta quarta-feira (24), o Boca Juniors pelo 1° jogo da semifinal da Copa Libertadores. Os times que duelaram na primeira fase da competição, tiveram mudanças consideráveis, e as duas partidas de agora prometem ser mais equilibradas ainda, no duelo que vai definir um dos finalistas do torneio continental.

Pra começar o Verdão trocou de técnico. Saiu a posse de bola de Roger Machado e entrou o jogo mais reativo e guerreiro de Felipão. O Palmeiras também perdeu Keno, peça importantíssima para o elenco que inclusive marcou duas vezes contra o Boca, tanto no Allianz Parque quanto na La Bombonera.

Gustavo Gomez chegou em uma negociação que curiosamente envolveu os xeneizes e o Palmeiras. Melhor para Alexandre Mattos. O bom defensor paraguaio deve ser titular nesta quarta-feira e ainda não perdeu vestindo a camisa do Palmeiras.

Alguns jogadores ganharam mais oportunidades e confiança com Felipão, e o time teve a sua maior mudança no setor defensivo. Daquele time que derrotou o Boca por 2 a 0 em abril, devemos ter 6 mudanças.

O Palmeiras de Roger Machado entrou em campo naquele dia com a seguinte formação: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Babosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Keno, Dudu e Miguel Borja.

41669692222_8a60c52517_z

Já nesta quarta-feira, o provável time de Luiz Felipe Scolari deve ser: Weverton, Mayke, Gustavo Gomez, Luan e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Moisés; Willian, Dudu e Borja.

Já os argentinos chegarão ao duelo desta quarta também com muitas peças diferentes da primeira fase. A começar pelo gol. O frágil Rossi deu lugar ao experiente Andrada, porém o goleiro machucou feio em um lance com Dedé do Cruzeiro, nas quartas de final, e terá que ficar fora de combate por mais algumas semanas.

O Boca não confia no seu reserva, tanto que trouxe o goleiro Carlos Lampe, titular da seleção boliviana e que possivelmente fará a sua estreia contra o Palmeiras.

O time de Schellotto também mudou a sua forma de jogar. O Boca de hoje é muito mais rápido e vertical, se tornando um time mais perigoso do que aquele que o Palmeiras venceu meses atrás. A equipe conta com a habilidade de chegada dos seus volantes para construir o seu jogo ofensivo.

Além da contratação do experiente Mauro Zárate, o Boca também possui novos nomes como o bom colombiano Sebastián Villa, e os recuperados Fernando Gago e Dario Benedetto.

Do time que enfrentou o Palmeiras na La Bombonera em abril, o Boca deve ter algumas novidades. Inclusive com Carlos Tévez iniciando no banco de reservas.

Compare a escalação do Boca naquela derrota para o Palmeiras, com a possível escalação dos argentinos para essa quarta.

Rossi; Jara, Vergini, Magallán e Mas; Nández, Sebastián Pérez (Reynoso) e Pablo Pérez; Carlos Tevez (Walter Bou), Pavón e Ábila.

Rossi (Lampe); Buffarini (Jara), Izquierdoz, Magallán e Olaza; Nández, Barrios e Pablo Pérez (Gago); Zárate (Villa/Tevez), Ábila e Pavón.

Apesar de ser uma das grandes promessas do futebol argentino, o atacante Cristian Pavón não vive grande fase desde que voltou do Mundial da Rússia. O camisa 7 do Boca foi quem mais deu trabalho para o Palmeiras na primeira fase, exigindo muito do sistema defensivo alviverde.

O Palmeiras tem um ótimo retrospecto jogando na temida casa do Boca Juniors. Em 6 jogos foram uma vitória, quatro empates e apenas uma derrota.

Relembre como foi o último encontro entre as duas equipes:

Contribuiu: Joza Novaliz - Editor do site Futebol Portenho.

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 27 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!