Palmeiras perde mais um Dérbi no detalhe e vê castigo repetido

Palmeiras perde mais um Dérbi no detalhe e vê castigo repetido

Foto: César Greco/ Ag. Palmeiras/ Divulgação

A mesma praça, o mesmo banco. Ontem vimos um filme repitido no Allianz Parque. Clássico contra o maior rival, toma um gol besta nos primeiros minutos de jogo, e depois não consegue furar a retranca adversária.

Foi assim em 2015, no primeiro Dérbi do estádio, quando Vitor Hugo errou feio r entregou um gol de presente pra Danilo.

Foi assim na final do Paulista do ano passado, quando em menos de 2 minutos o Palmeiras perdeu toda a vantagem construída em Itaquera.

Foi assim ontem.

O Palmeiras ganhou todas bolas pelo alto nos inúmeros escanteios que teve. Sem sucesso.

Sofreu o gol na única bola que o Corinthians levantou na sua área.

Detalhe.

Que faz o favoritismo evaporar. E o nervosismo reaparecer.

Dérbi não importa quem tem mais time, quem tem mais renda. Quem tem o patrocinador com mais seguidores. Quem faz o melhor mosaico.

Dérbi se ganha. E mais uma vez o Palmeiras viu o seu rival vencer.

Méritos. Sorte. Competência. Jogar por uma bola

Isso tudo fica em segundo plano.

Já se passaram 5 técnicos e todos perderam para Carille da mesma forma.

No detalhe.

Será que agora vão aprender?

Desde 2015 não temos um empate no Dérbi. De lá pra cá, quem abre o placar vence.

Detalhes ganham jogos. Principalmente os grandes

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!