Palmeiras poderá eleger 23 novos conselheiros vitalícios no dia 21 de janeiro

Palmeiras poderá eleger 23 novos conselheiros vitalícios no dia 21 de janeiro

O Palmeiras convocou uma votação para eleger novos conselheiros vitalícios do Palmeiras no próximo dia 21 de janeiro. 27 conselheiros passaram pelo crivo do COF (Conselho de Orientação Fiscal), recebendo a benemerência (confirmação do cumprimento do pré-requisitos para disputar a vitaliciedade) nos últimos dias 14 e 15, em reunião extraordinária, e concorrerão para 23 vagas abertas.

Para que um candidato conquiste uma cadeira no conselho vitalício, é preciso conquistar 50% dos votos +1 dos presentes na eleição. Por exemplo: 220 votantes significa que alguém só será eleito com 111 votos ou mais. Todos os conselheiros têm o direito de votar no número de candidatos correspondente ao de vagas abertas, ou seja, cada um poderá dar de 0 a 23 votos dentre os 27 candidatos. Todos aqueles que ultrapassarem os “50% +1” do número de votantes presentes, conquistam a cadeira no colegiado.

ESTRATÉGIA DA OPOSIÇÃO A NOVOS VITALÍCIOS É MARCAR PRESENÇA. QUESTÃO DE ORDEM TAMBÉM PODE TRAVAR VOTAÇÃO
Há quem defenda a ideia de diminuir o número de conselheiros vitalícios no Palmeiras sob o argumento de que muitos eleitos passam a usufruir dos direitos, mas deixam de lado seus deveres com o clube. Aqueles que se opõem pretendem aparecer na eleição e registrar voto em nenhum dos candidatos, aumentando assim o número de votos necessários para que alguém consiga uma cadeira no colegiado.

Em agosto, na Assembleia Geral dos Sócios do Palmeiras, que aprova ou não as decisões do Conselho Deliberativo do clube, não houve a aprovação da diminuição do número de conselheiros vitalícios do clube de 148 para 100 membros. Os votos “Não” alcançaram maior número do que os votos “Sim” na pergunta sobre a manutenção do número de 148 (1163 x 965), porém era necessário obter 2/3 do número de votos para que conseguisse derrubar 28 cadeiras atuais. Isso porque, em decisão do Conselho Deliberativo meses antes, a manutenção das 148 cadeiras foi aprovada. Caso não tivesse sido, a votação do “Não” obtida na Assembleia Geral de Sócios teria sido suficiente.

Jos--Apparecido-2

Foto: José Apparecido é conselheiro do Palmeiras e contra a eleição de novos vitalícios

José Apparecido é um dos conselheiros eleitos do clube que faz parte do grupo contra a manutenção do atual número de vitalícios e, portanto, contra a eleição que está por vir. Ele protocolou uma “Questão de Ordem” para o dia da votação, ou seja, um pedido para que o Conselho Deliberativo debata se não desrespeitará uma maioria de sócios do clube, de acordo com a votação da Assembleia Geral já citada.

“A decisão da questão de ordem vai influenciar na votação principal. Eu quero, antes de votar, que esse Conselho Deliberativo se manifeste de forma expressa sobre o que realmente vai votar. Se acha que tem competência pra fazer uma eleição agora, mesmo em face da decisão da Assembleia Geral. Quero que o CD debata se ele está ou não desobedecendo a vontade da Assembleia Geral”, explica o conselheiro do clube, que tem a esperança de deliberar sobre o assunto e congelar a pauta, em entrevista exclusiva.

del-grande

Foto: Seraphim Del Grande é o atual presidente do Conselho Deliberativo do Palmeiras

De acordo com o atual presidente do Conselho Deliberativo do clube, não é possível abrir a palavra para ninguém em dias de votação, portanto a “Questão de Ordem” não será nem mesmo apreciada. O presidente Seraphim del Grande afirma que agora era a hora de abrir eleições para os vitalícios: “No ano retrasado, houve eleição para vitalícios. Nesse ano, temos mais de 20 candidatos beneméritos, portanto, temos de convocar eleições para preencher as cadeiras abertas. Quem for contra o preenchimento das vagas, que esteja na eleição e não vote em nenhum deles”, disse o mandatário do CD do Palmeiras em entrevista exclusiva.

O grupo da situação, representado pelo presidente Mauricio Galiotte, afirmou durante a campanha para a aprovação da mudança de dois para três anos de mandatos presidenciais que o número de vitalícios deveria ser diminuído, mas terá de lidar com eleições ocorrendo logo no começo dessa gestão, no dia 21 de janeiro. De acordo com os bastidores do clube, dos 27 candidatos, apenas quatro são da oposição. Todos os outros 23 fazem parte da situação e 11 deles terão de concorrer a eleição do Conselho Deliberativo em fevereiro caso não consigam votação para entrar no colegiado vitalício.

  • Rodrigo Fragoso

    Rodrigo Fragoso

    Formado em Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero e especializado em gestão, direito e marketing esportivo pela FIFA/CIES/FGV.