Palmeiras tem história. Vive de passado quem a tem.

Palmeiras tem história. Vive de passado quem a tem.

Palmeiras tem Mundial?

O mundo que não tem campeão de seleção como o Brasil tem como maior campeão do país o Palmeiras.

O Palestra que não pôde mais ser Itália em 1942 foi todo o Brasil na Copa Rio de 1951. Um ano depois do Maracanazo, o Palmeiras ganhou a maior torcida da história do país por um clube no mais difícil torneio intercontinental já disputado em sete jogos contra grandes da Europa e América.

Fosse Palmeiras ou qualquer outro brasileiro a torcida seria igual contra a Juventus que voltaria a ser campeã da Itália no final daquela temporada 1951-52. Talvez o resultado não fosse o mesmo. Mas se fossem outros clubes também haveria quase um milhão de paulistas nas ruas paulistanas celebrando a primeira conquista intercontinental do futebol brasileiro.

Pelo clube que 9 anos antes era dos “traidores da pátria”... Pelo clube que 14 anos depois de jogar por todo o Brasil foi todo o Brasil como primeiro a vestir inteiro a camisa da Seleção... Mais uma aula da Academia.

A propósito, respondendo à pergunta, não importa a resposta. Importa é que não houve até então torneio mais importante aqui e no mundo. Se a Fifa reconhece ou não também é outra história. Se as pessoas ignoram ou são ignorantes não é outra história. É história. Quem vive de passado é quem tem história.

Vale é que o Palmeiras foi o campeão da Copa Rio. Ganhou a torcida que gritava “Brasil”. Conquistou o que não precisa de aval. Apenas respeito. E educação.

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.