Pierre culpa falta de elenco e afirma: 'Brasileiro de 2009 foi a maior frustração da carreira'

Pierre culpa falta de elenco e afirma: 'Brasileiro de 2009 foi a maior frustração da carreira'

Foto: Divulgação

O ex-volante Pierre participou da live com o time do Nosso Palestra nesta última segunda-feira, 22. Campeão paulista de 2008 pelo Verdão, Pierre revelou que viveu no Palmeiras a maior frustração de sua carreira. Perder o título brasileiro de 2009 martela até hoje a cabeça do ex-camisa 5.

Pra ele, a falta de um elenco que suportasse o extenuante calendário do futebol brasileiro foi a causa principal para o Verdão despencar na tabela daquele ano.

"A gente tinha um bom time, mas não tinha um elenco a altura de ganhar o brasileiro. Se você pegar todos os campeões você vai ver que o elenco era grande. É difícil manter o mesmo ritmo jogando quarta e domingo. As lesões pesaram tanto que acabamos nem pegando a Libertadores", afirmou Pierre.

Pierre relembrou o momento em que lesionou o tornozelo em um treino. O até então técnico palmeirense Muricy Ramalho pensou que não era grave.

'Era o meu melhor momento com a camisa do Palmeiras. Eu estava até na pré-lista da seleção brasileira. Eu senti na hora que tinha sido grave. Quando o médico mexeu e viu que era o ligamento, já sabia que eu tinha perdido o ano. Foi um momento difícil pra mim e pro grupo. Praticamente a espinha dorsal do grupo se lesionou. Cleiton Xavier e Maurício Ramos também. Abalou nosso psicológico', disse o hoje aposentado que fez 199 jogos com a camisa alviverde.

Pierre acha que faltou um título brasileiro para ele entrar na galeria de ídolos do Palmeiras: 'Eu sou um cara que tenho um carinho e um respeito muito grande pelo torcedor palmeirense. Em 2016 fiquei emocionado com a torcida do Palmeiras me ovacionando no Allianz Parque mesmo eu como adversário. Mas queria muito aquele título de 2009. Foi a maior frustração da minha carreira.', encerrou.

Confira a live completa do Pierre Guerreiro!

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!