Nickollas acompanha 1° jogo com óculos de inteligência artificial

Nickollas acompanha 1° jogo com óculos de inteligência artificial

Foto: Gabriel Amorim/Reprodução

"Olha o Edmundo com a bola filho."

"Agora é o Rivaldo!""

"Goooooool! Foi do seu amigo Zé Roberto, Nickollas!".

Assim foi a manhã de domingo de Silvia e de Nickollas. Os dois ilustres palmeirenses foram convidados por Mauro Beting para acompanhar o jogo de despedida do Zé Roberto no camarote Fan Zone, parceiro que seguirá com o Nosso Palestra em 2019.

Silvia me recebeu com o maior carinho e alegria do mundo. Ela estava muito feliz, afinal aquele seria o primeiro jogo de Nickollas com o presente que o garoto cego ganhou do Palmeiras de Natal.

Um óculos de inteligência artificial que capta imagens e traduz para o Nick em menos de 3 segundos.

"Pro jogo em si o óculos não ajuda muito. Só traduz as placas do campo, essas coisas. Mas pra outras coisas o óculos mudou a vida dele. Principalmente na leitura e nos estudos.", disse Silvia.

Com o presente entregue por Deyverson, Nickollas lê livros e consegue estudar sem a presença da mãe. Ele fica cerca de 2 horas por dia com o óculos.

"Hoje ele tem muito mais autonomia. Acho que essa é a palavra. Ele não depende mais de mim pra fazer algumas coisas.", me contou emocionada.

O óculos possui um dispositivo que captura imagens em uma máquina fotográfica. Essa fotografia é escaneada através de um computador e por fim traz o áudio. A Sílvia prende o equipamento nos óculos por um ímã e dessa forma, o garoto consegue ler qualquer texto em qualquer superfície e distância, inclusive placa de rua, cardápio e qualquer livro em qualquer idioma.

Um óculos com essa tecnologia custa em torno de 20 mil reais. Até existem alguns financiamentos, mas se não fosse o Palmeiras, dificilmente Nickollas já teria um desse em 2019.

Após a partida, o garoto desceu aos vestiários para conhecer alguns ídolos que fizeram história com a camisa do Palmeiras.

O óculos também tem a capacidade de identificar rostos e traduzir pro garoto quem é a pessoa que está na sua frente.

O lado triste para Nickollas ontem, foi que sabe se lá o porquê, a maior organizada do Palmeiras não foi ao jogo.

"Ele ama o barulho da torcida. É o que ele mais gosta quando vem ao jogo."

Uma pena que o clube mais uma vez não deixou de lado sua política elitista e tivemos cerca de 20 mil pagantes no estádio.

Zé Roberto merecia mais. O Nickollas merecia mais.

Ao final do nosso bate papo, Silvia me contou os bastidores da festa da CBF no final do ano, quando Nickollas emocionou o Brasil ao pedir para Dudu ficar no Palmeiras.

"Ele já tinha falado pro Dudu ficar no Palmeiras no começo do evento. Mas ali na hora da premiação eu nunca imaginaria que ele falaria aquilo. Me pegou totalmente de surpresa. A cara que o Dudu fez. Foi inesquecível e de coração. Ele sabe da importância do Dudu pro Palmeiras", disse Silvia.

Parece que o pedido de Nickollas foi bem aceito pelo camisa 7, que até agora segue firme no Palmeiras para mais uma temporada.

Já Nickollas e Silvia seguirão perto do Palmeiras em 2019. Eles moram longe do Allianz Parque, mas a mãe prometeu que pelo menos uma vez por mês eles estarão presentes.

"O Nickollas ama vir ao jogo do Palmeiras. É um dos programas que ele mais gosta. É um esforço que vale a pena", finalizou Silvia, que foi atenciosa e tirou foto com muitos torcedores.

Ver esta publicação no Instagram

O @nickollasgrecco nasceu depois de @edmundosouza10 jogar pelo Palmeiras. Hoje, graças ao presente de Natal do clube, ele tem um óculos que reconhece até 150 rostos como o do Animal. Consegue ler com esses óculos. Nos jogos, como o de hoje onde torceu no @camarotefanzone, continua a mãe @pringrecco narrando o que só ela consegue ver pelo filho. Mas o melhor do presente de Natal para toda a vida é que os óculos reconhecem símbolos. Quando veem o do Palmeiras pelas ruas, eles dizem pro Nickollas algo que talvez ele não precisasse reconhecer porque já aprendeu pela paixão da mãe. Ele sente esse símbolo do mesmo modo como o Animal sentiu novamente o calor da torcida que o idolatra pelos milhões de acertos e até pelos erros que não foram poucos. Coração de palmeirense é como o da Silvia. De mãe. Sempre cabe mais um Edmundo. Ainda mais ele. E como já disse meu velho que hoje esteve mais uma vez com a gente, o neto Gabi, a netinha Manoela, e o amigo Pedro, é desnecessário explicar o que é essa emoção que os óculos captam pela tecnologia mais moderna. O Nickollas, o Edmundo e o alviverde inteiro já sabem como todos nós desde o que há de mais antigo - desde 1914.

Uma publicação partilhada por Mauro Beting (@maurobetingoficial) a

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 27 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!