Visão do repórter: Palmeiras mostrou fibra para buscar empate e esperança em dias melhores

Visão do repórter: Palmeiras mostrou fibra para buscar empate e esperança em dias melhores

Foto: Cesar Greco/ Ag. Palmeiras

O Palmeiras conquistou um importante ponto jogando diante do Corinthians em Itaquera, na fria noite deste domingo, 4.

Por tudo que o jogo representava e pela forma como toda estratégia se ruiu logo aos 12 minutos do primeiro tempo, o empate acabou não sendo o fim do mundo.

Com um segundo tempo bem digno, o time de Scolari foi totalmente outro após o intervalo, e se não fosse Cássio, o Verdão poderia ter conquistado a sua quarta vitória na casa do maior rival.

Felipão vai ficar. O bom senso venceu a insanidade, e mesmo com diversas oscilações, Scolari é o único que pode conseguir resgatar a força que esse time já provou ter.

Se o seu estilo de jogo vai ser necessário para o clube conquistar mais um título? Só o tempo dirá. Mas interromper o trabalho agora aí sim ia complicar demais as coisas. Além de ser um prêmio para os inconsequentes.

Não foi o resultado que a torcida queria, mas também não faltou brio, raça e entender onde se estava e contra quem se jogava.

Por alguns instantes o Palmeiras pareceu aquele antes da parada para a Copa América.

Que o trem volte para os trilhos e que todos tenham um pouco de paz para tentar ajustar a casa.

O campeonato está longe de estar perdido.

Muito longe.

E quem quer remar contra a maré deveria pular pra fora do barco.

O Palmeiras é muito mais forte quando o seu nada fácil povo está em completa sintonia.

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!