Vocês estão todos demitidos

Vocês estão todos demitidos

Eu teria contratado Alexandre Mattos no final de 2014 e continuaria com ele e Cícero Souza. Mas eu não teria apostado em Oswaldo de Oliveira em janeiro de 2015.

Teria demitido o treinador quando ele saiu em junho de 2015. Teria contratado Marcelo Oliveira. Teria demitido o campeão da Copa do Brasil de 2015 em março de 2016.

Teria contratado muito antes Cuca. E lamentado demais a sua esperada saída em dezembro de 2016. Para o lugar dele teria ido mais cedo atrás de Roger Machado, ainda em dezembro de 2016. Não teria trazido Eduardo Batista em janeiro de 2017. E teria trocado por Cuca em maio do ano passado. Talvez não demitisse Cuca em outubro de 2017. Sem ele, teria ficado com Alberto Valentim até substituí-lo por Roger Machado em dezembro do ano passado.

Até a bola rolar contra o Fluminense eu ainda apostava em Roger. Sem a mesma convicção. Depois da entrevista, teria feito o mesmo que foi feito. E teria retomado o contato de dezembro com Abelão.

No frigir das bolas e no fritar dos bonés de treinadores do Palmeiras: eu teria cometido os mesmos erros e acertos. Com os mesmos destemperos e temperos próprios do futebol brasileiro, e impróprio para o futebol brasileiro. Este império de impropérios que ceifa cabeças. Das mais privilegiadas como as de Roger as menos capazes como as minhas.

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.