Relatório anexado por Textor aponta Botafogo 21 pontos a frente do Palmeiras ‘sem erros de arbitragem’

Dono da SAF do clube carioca contratou estudo para analisar supostas falhas no Campeonato Brasileiro

O dono da SAF do Botafogo, John Textor, está sendo julgado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por acusar a CBF de corrupção e manipulação de resultados nesta edição do Brasileirão. Em sua defesa, o empresário anexou relatório que aponta suposto desfavorecimento aos cariocas pela arbitragem.

Conheça o canal do Nosso Palestra no Youtube! Clique aqui.
Siga o Nosso Palestra no Twitter e no Instagram / Ouça o NPCast!
Conheça e comente no Fórum do Nosso Palestra

Relacionadas

Nesta quarta-feira (22), o norte-americano publicou trecho do documento com análise do jogo entre Atlético-MG e Botafogo pelo Campeonato Brasileiro, encerrado em 1 a 0 para os mineiros. De acordo com o relatório, o “resultado real” da partida seria um empate em 1 a 1. Momentos após a publicação, ele apagou o post de suas redes sociais.

O documento apresenta um estudo da empresa francesa “Good Game!”, contratada por Textor para analisar possíveis falhas da arbitragem ao longo da competição. O estudo analisa em especial partidas de Palmeiras e Botafogo, líder e vice-líder do torneio no momento, embora cite outros jogos também. Os detalhes do relatório foram publicados pelo “ge” nesta quinta-feira (23).

VEJA NO NOSSO PALESTRA
Zé Rafael comenta pausa para Data Fifa e fala sobre volta de elenco completo do Palmeiras

Considerados os resultados projetados pela auditoria, os cariocas teriam dez pontos a mais e o Alviverde 13 a menos. Sendo assim, a pontuação dos times passaria de 60 para 70, e 62 para 49, respectivamente, o que representaria uma distância de 21 pontos entre as equipes que hoje estão a apenas dois – com um jogo de diferença.

Alvo da principal reclamação de Textor, o confronto direto entre Palmeiras e Botafogo se manteria com o resultado inalterado segundo a “Good Game!”. Na ocasião, o Verdão derrotou o adversário de virada por 4 a 3 após sair perdendo por três gols de diferença ainda na etapa inicial. Ao final do jogo, o dono da SAF botafoguense acusou a CBF de “roubo”.

O empresário foi condenado de imediato a 30 dias de suspensão preventiva, tendo cumprido 20 dias da punição até o momento. Agora, a defesa tenta evitar uma sanção maior e alega erro de tradução na das palavras proferidas pelo norte-americano na ocasião.