Opinião: ‘Sabor de uma torcida visitante’

Torcida única é uma afronta para os amantes do futebol!

Há um bom tempo, os jogos na Argentina não têm torcida visitante, independentemente do confronto. Aquela velha estratégia de tentar acabar com a violência proibindo pessoas de irem aos estádios. Vai entender… No Brasil, essa medida está apenas em alguns clássicos regionais, como em São Paulo, por exemplo. Outros estados também adotaram essa ideia, mas alguns vão na contramão e implementaram até torcida mista em clássicos.

Conheça o canal do Nosso Palestra no Youtube! Clique aqui.
Siga o Nosso Palestra no Twitter e no Instagram / Ouça o NPCast!
Conheça e comente no Fórum do Nosso Palestra

Relacionadas

VEJA NO NOSSO PALESTRA
Torcidas de Boca e Palmeiras fazem festa pós jogo. Confira vídeos!

Torcida La 12 canta após término da partida. (Vídeo: Acervo Pessoal – André Costa)
Festa e resposta da Mancha Verde depois da partida. (Vídeo: Arquivo pessoal – André Costa)

Esta semana, estive na Argentina para acompanhar o Maior Campeão do Brasil em mais uma batalha em solo estrangeiro. Durante os dias pré-jogo, senti a hostilidade por parte dos ‘xeneizes’ e hospitalidade pelo lado dos ‘milionários’.

Andando nas ruas, desfilando as cores verde e branco, muitos argentinos nos abordavam e diziam que o Palmeiras tinha que ganhar na quinta-feira: “El jueves tenemos que ganar!”. Não eram só torcedores do River Plate que falavam conosco, mas também de outros clubes do país. Em Buenos Aires, metade da população ama o Boca Juniors e a outra metade odeia.

O povo argentino é apaixonado por futebol e vive a rivalidade diariamente. Se vê muito pelas ruas camisas de clubes do país e não aquele monte de Manchester City, Real Madrid e PSG que vemos Brasil afora. Aqui o futebol nacional é elevado à última instância e o amor pelos clubes é algo imensurável.

Apesar de todas as complicações com a polícia local no trajeto até La Bombonera, os palmeirenses entraram no estádio e alguns, como eu, perderam os cinco minutos iniciais do jogo. Apesar de estarem com poucos integrantes, a Mancha Verde fez uma grande festa e foi apoiada por todos os torcedores alviverdes que tiveram o prazer de assistir a uma semifinal de Libertadores no místico estádio ‘xeneize’.

A maior organizada do Boca, a ‘La 12’, também fez grande festa com fumaça, papel picado e músicas embaladas pela banda de metais. Porém, o estádio só cantou por completo em dois momentos na partida e por pouco tempo, mas deu para sentir a estrutura balançando.

Ao final da partida, os torcedores do Boca mataram a saudade de ter uma torcida visitante em sua frente. Após o apito final, a organizada continuou cantando e provocando os palmeirenses que ainda teriam que ficar aproximadamente por mais uma hora no estádio. Quando terminaram, foi a nossa vez! Como forma de resposta, começamos os cânticos do Verdão até que eles fossem embora de uma vez por todas.

A torcida visitante é fundamental para uma partida de futebol. A torcida única é uma afronta para os amantes do esporte! Se não tivessem os palmeirenses na Argentina, com certeza a ‘La 12’ não ficaria por quase uma hora cantando e festejando. Que usemos tudo isso agora a nosso favor! Eles virão para o Brasil e farão uma grande festa, tal qual a Mancha na La Bombonera.

Agora cabe a nós e ao elenco de Abel Ferreira espantar esse fantasma do Boca Juniors para longe e fazer com que o Palmeiras possa eliminá-los pela primeira vez na história da Libertadores.